quinta-feira, 15 de junho de 2017

O monstro Conor McGregor


Salve Salve Nerds!
Quando Conor McGregor estreou no UFC, muitos atentavam para o potencial do irlandês. Ele havia vencido o bom lutador croata Ivan Buchinger pelo cinturão dos leves do Cage Warriors e se tornava então campeão de duas categorias. 
A sua estreia nos octógonos foi impressionante, logo de cara pegou Marcus Brimage e nocauteou com pouco mais de um minuto. O estilo falastrão já aflorava e o "nocaute da noite" estava garantido. O que poucos esperavam era que o já impressionante começo seria apenas um traço diante do que estava por vir. 
McGregor portando os dois cinturões que conquistou no Cage Warriors

Com o joelho estourado, McGregor anulou Max Holloway. Hoje o havaiano é campeão do UFC, vencendo José Aldo com uma performance irretocável. Sobre Aldo, mais abaixo falo do brasileiro.
O que veio a seguir foi uma ascensão meteórica, a organização marcou um evento na capital Irlandesa. Com a vitória por nocaute e mais um bônus do notório, a O2 Arena registrou até hoje o mais alto volume de um evento do UFC, superando 111 decibéis. Já estava na hora de lançá-lo a peixes maiores e usar a popularidade crescente em um evento de pay-per-view. O UFC 178 teve McGregor enfrentando Dustin Poirier, até então o 5° colocado da categoria dos penas. Ele falou muito e entrou na mente do americano, Poirier resistiu apenas 1 minuto e 46 segundos até ser nocauteado de uma das maneira mais estranhas que eu já vi até hoje, mais um nocaute e mais um bônus. Pronto, estava criada a fera, a partir deste momento não existia justificativa esportiva para não colocá-lo próximo a disputa do cinturão.
O início do grande ano da sua carreira foi açucarado, um nocaute sobre Dennis Siver aos 1:52 2° round. Inclusive ele havia prometido que iria nocautear.
Estava escalado para o UFC 189, contra José Aldo. O evento ganhou um dos trailers mais bem produzidos da história do evento.

A tão esperada luta contra o maior peso-pena da história teve que ser adiada devido a uma lesão na costela de Aldo. Para substituir o brasileiro veio então Chad Mendes, que para muitos seria a kryptonita para McGregor. Após o, até então, round mais difícil de toda a sua participação no UFC, o irlandês voltou cheio de fome e o resultado foi Chad Mendes nocauteado aos 4:57 do segundo round. Mais uma vez McGregor disse que iria nocautear no segundo round e assim o fez.
Uma das fotos mais impressionantes já registras em uma pesagem do UFC

O mundo já espantava com o fenômeno que na época portava o cinturão interino dos pesos-penas. Deram ainda um Reality Show, The Ultimate Fighter, para que o monstro crescesse ainda mais.
4 de dezembro de 2015, UFC 194, o mundo olhava para o octógono montado em Las Vegas. Todos esperavam uma luta dura, entre o campeão Aldo, na época 10 anos invicto, contra Conor, The Notorious.
O resultado todos já sabem: 13 segundos de luta na performance mais impressionante da carreira de McGregor. A luta mais rápida de uma disputa de cinturão na história do UFC. Mais de um milhão de pacotes de pay-per-view vendidos e McGregor com o cinturão.
O golpe derradeiro que chocou o mundo

Ele saiu à caça, primeiro do cinturão dos leves, naquele momento em posse do brasileiro Rafael dos Anjos. A luta foi marcada, mas mais uma vez uma lesão tirou o adversário do irlandês. A solução do Ultimate foi escalar Nate Diaz, com apenas 15 dias de antecedência, em duas categorias acima da que McGregor vinha lutando na organização. 
Desta vez McGregor não saiu feliz do octógono, finalizado por Nate Diaz  aos 4:12 do segundo roun. Mas fora do cage o irlandês não teve do que reclamar, novamente mais de um milhão de pacotes de pay per view vendidos.
A primeira derrota de McGregor no UFC

A revanche era especulada para o UFC 200, mas devido a muitos imbróglios na organização o UFC decidiu retirar McGregor do card. Mas ainda assim deu a revanche, marcada para agosto, no UFC 202, no primeiro fim de semana das Olimpíadas. Desta vez McGregor se reinventou e venceu Nate Diaz por Decisão Unânime em uma das melhores lutas do ano. Assim como nas últimas vezes em que subiu no octógono o número de pacotes de Pay-Per-View superava a marca de um milhão, mas no UFC 202 o número superou até o recorde do UFC, com mais de 1,65 milhões de pacotes.


McGregor dosou a energia e venceu uma guerra contra Nate Diaz no UFC 202
A chance de disputar o cinturão dos leves veio no UFC 205, contra Eddie Alvarez, no primeiro evento realizado na cidade de Nova York, após a liberação do MMA no estado. McGregor prometeu nocaute e ele não durou muito, veio aos 3:04 do segundo round em um passeio contra contra o americano. O número de pay-per-views desta vez superou todas as macas e se tornou o evento com mais pacotes vendidos da história do MMA.
Ele se tornou o terceiro homem a conseguir ser campeão em duas categorias diferentes no UFC, ao lado de B.J Penn e Randy Couture, mas o primeiro na história a ser campeão ao mesmo tempo, um fato de o deixa imortalizado na história do esporte.


Além de ser um astro midiático ele é sim um grande atleta, do nível de poucos na história

No ano de 2016 o UFC vendeu 8,370 milhões de pacotes para a TV em cards principais, o que dá a média recorde de 644 mil mil por show, segundo dados do site "MMA Fighting"
Conor virou personagem de um dos games mais populares do mundo, Call Of Duty: Infinite Warfare, ao lado de Kit Harington, o Jon Snow de Game Of Thrones.




Por falar em Game Of Thrones, McGregor terá um papel de pirata na nova temporada da série. Ser destaque em uma série de sucesso mundial é algo que nunca chegou nem perto de um lutador de MMA. 
Após a luta no UFC 205 ele declarou que iria ficar longe dos octógonos por um tempo para ficar ao lado da esposa grávida. O UFC vem sentindo os efeitos dessa pausa, as vendas de pay-per-view em 2017 ainda não decolaram e dificilmente irão sem o irlandês.
O monstro que se criou superou até os limites do MMA, pois após uma série de especulações a sua luta contra o maior vendedor de pay-per-vews da histórias dos esportes está confirmada. McGregor enfrentará Floyd Mayweather no dia 26 de agosto em uma luta que promete ser a maior da história dos esportes de combate, superando em vendas até o histórico confronto entre o próprio Mayweather e o filipino Manny Pacquiao.
MMA versus Boxe, uma luta que milhões de pessoas no mundo pagam pra ver

As expectativas são altas para ver até onde que Conor McGregor pode chegar



terça-feira, 13 de junho de 2017

PES 2018




Na manhã de hoje, foi lançado o Pro Evolution Soccer 2018 pela Konami na E3, com expectativas altas, até pela concorrência com o FIFA.



O jogo da Konami tem como novidades melhorias gráficas em relação ao jogo anterior e algumas coisas a mais para atrair mais jogadores. Foi consolidada a PES League, que seria uma seleção de jogadores no mundo todo para os campeonatos presenciais depois da seleção com cada um jogando de sua casa. Jogadores históricos, com destaque para Maradona, estarão disponíveis no jogo. A novidade mais aleatória foi a inclusão de Usain Bolt no jogo. Isso mesmo, o corredor jamaicano estará na edição 2018 do PES no modo My Club.

Como todos os jogos esportivos, nem sempre é possível trazer mudanças grandes de um ano para o outro, mas parece um tanto equivocada a ideia de colocar Bolt no jogo. Muita gente imagina um atleta em outras modalidades e se ele teria sucesso nesse novo esporte, mas nesse caso deu a entender que foi mais marketing para atrair mais gente que o rival FIFA.
Poderiam haver mais inovações no jogo em si e até se pensar em fazer como o FIFA e colocar seleções e até times femininos na franquia. Pareceu um passo para trás da Konami, mas enfim, quem somos nós na fila do pão dos jogos.

Mesmo se formos falar em atualizações dos jogos esportivos, não haveria a necessidade de termos um lançamento novo todos os anos, por não haver tantas mudanças tecnológicas tão significativas para isso, a famosa DLC poderia resolver. 






O PES 2018 será lançado 14 de setembro para PlayStation 4, PlayStation 3, Xbox One, Xbox 360 e PC.

Madden NFL 18




Com Tom Brady, o famoso marido da Gisele e campeão cinco vezes do Superbowl na capa do jogo, a EA Sports lançou o Madden NFL 18.


O Madden NFL 18 foi apresentado na E3 pela EA Sports como mais um jogo utilizando a engine Frostbite, que permite melhoras gráficas significativas nos jogos da franquia. Mas, como citado em todos os jogos anunciados anteriormente, o modo carreira, ou no caso do Madden o modo Longshot, é o destaque. 

No caso do Madden, é bem parecido com o FIFA, com um atleta fixo que você controla. O atleta foi feito com o físico e aparência do ator Mahershala Ali, que fez Moonlight. Dando uma de Silvio Santos, nunca joguei o Madden mas meu amigo Arthur jogou e aprova, principalmente por ajudar a entender mais desse esporte que a princípio parece complicado. 







O jogo chega para Playstation 4, Xbox One e PC em 22 de agosto.

Forza Motorsport 7




Na conferência da Microsoft, em que o lançamento do glorioso Xbox One X foi o grande destaque, tivemos também o já tradicional Forza Motorsport 7 lançado.




O Forza é um dos primeiros jogos lançados que rodam no novo console, com 60 frames por segundo e 4K. Os gráficos do jogo, que já eram impressionantes, seguem ótimos e com muito realismo, tanto da pista, do cenário e claramente dos carros. O diferencial do jogo, que conta com mais de 700 carros presentes, de todos os tipos, é um modo carreira, que você pode ser um piloto.




Você pode criar um piloto como personagem do jogo e seguir os modos do jogo, inclusive jogar online. Essas funções ajudaram, segundo a Turn 10 Studios, a tornar o jogo mais humano e realista, até porque a tendência dos jogos atuais é que o jogador seja mais protagonista, ainda mais os jogos esportivos, como os já citados FIFA e NBA.





O jogo será lançado em 3 de outubro, disponível para Xbox One X, Xbox One e Windows 10.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...