quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Podcast Nerd Esporte #14 - Star Wars: Rogue One



Salve Salve Nerds!



Fechando o nosso ano com chave de ouro, falamos sobre o mais novo filme da saga que tanto amamos, Star Wars - Rogue One. João e Arthur recebem os especialíssimos convidados Moreno e Vitor para falar sobre as expectativas criadas antes do filme, o que se comprovou e os destaques de Rogue One. O primeiro bloco é sem spoilers, apenas expectativas, enquanto o segundo falamos mesmo sobre o filme.



Faça o download do podcast AQUI

Assine o nosso FEED

Ouça o podcast no iTunes

Curta o Nerd Esporte

Siga a gente no Twitter


Trilha sonora de Star Wars - Rogue One:




Até mais!

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Os melhores do restante





Salve Salve Nerds!



Desde 2008, Cristiano Ronaldo e Lionel Messi se revezam no prêmio de melhor jogador do mundo da FIFA. Esse ano não deverá ser diferente e a escrita deverá ser mantida, mas, você saberia dizer quem seriam os melhores do mundo caso os dois não disputassem o prêmio? Confira abaixo. 

2008

Foto via Liverpool Echo


No primeiro ano dominado pela dupla, quem ganharia o prêmio seria El Niño, Fernando Torres. Sim, quando ele ainda estava no Liverpool o prêmio da FIFA foi entregue ao jogador espanhol. Em segundo lugar ficaria Kaká, quando ainda brilhava no Milan, e terceiro Xavi Hernandez, no Barcelona. 

2009

Foto: Manu Fernandez / AP

Em 2009, Xavi Hernandez apareceu de novo na lista e foi o melhor do mundo ausentando a nossa dupla. Kaká também estava lá, de novo em segundo, já no Real Madrid, e em terceiro terminaria Andres Iniesta, o mago do meio campo barcelonista. 

2010



No ano sagrado de 2010, uma exceção. Cristiano Ronaldo não terminou a eleição em primeiro ou segundo lugar. Portanto, nosso pódio teve Andrés Iniesta em primeiro e Xavi Hernandez em segundo. A premiação acabou por valorizar a conquista da Copa do Mundo por parte da Espanha. 

2011

Foto: Getty Images


Em 2011, a dupla novamente voltou a dominar a lista e assim o melhor do mundo do restante foi Xavi. Esse foi o último ano de domínio do Barcelona sob o comando de Pep Guardiola. O fechamento dele foi com a goleada por 4 a 0 sobre o Santos no Mundial.  A Fifa parou de revelar a classificação do restante dos candidatos, portanto não podemos completar o pódio dos melhores.

2012

Foto: Pierre-Phillipe Marcou - France Presse

Seguindo um certo revezamento entre meias do Barcelona, dessa vez Iniesta foi o melhor do restante. A Espanha, ainda protagonista da Europa com a Euro 2012, tinha no camisa 8 o centro do esquema tático. 

2013

Foto via Bleacher Report


O ano de 2013 teve Franck Ribéry no topo. O francês foi coroado pela grande campanha do Bayern na Liga dos Campeões, onde desbancaram o Barcelona com um 7 a 0 no agregado dos dois jogos da semifinal. Na decisão superaram o Borussia Dortmund. Ribéry foi inclusive eleito o melhor da competição.

2014

Foto: Robert Ghement/European Pressphoto Agency


Em 2014 uma novidade, um goleiro esteve brigando com Cristiano Ronaldo e Messi. Manuel Neuer fez um ano impecável pelo Bayern e coroado com uma excelente Copa do Mundo pela Alemanha. O destaque da época e que influenciou muitos goleiros pelo mundo, foi o jogo com os pés do goleiro, que evita dar os famosos chutões para fazer passes aos companheiros.

2015



No ano passado, o grande destaque do restante foi Neymar. O brasileiro fez o melhor ano pelo Barcelona até agora, com 45 gols marcados. Apenas 2012, quando estava no Santos ainda, fez mais gols, com 52. Ele foi decisivo e ajudou o time a conseguir mais um título da Liga dos Campeões e um Mundial, ganho em cima do River Plate. 

2016

Para esse ano, temos um forte candidato a melhor do mundo do restante. Antoine Griezmann fez excelente temporada pelo Atlético de Madrid e foi importante para a França na Eurocopa. Portanto, teremos um novo integrante na lista. 

Acredito que ainda demorarão alguns anos para que o prêmio de melhor do mundo saia das mãos de Messi ou Cristiano Ronaldo. Os dois ainda estão acima dos outros e não apareceu um jogador que pudesse desbancar ambos. Podemos dizer que Neymar é um candidato para o futuro, pois é jovem e já conseguiu ficar em terceiro, porém precisamos esperar para ver, até porque o futebol não é uma ciência exata e de um ano para outro as coisas podem mudar bastante.

Até mais!

domingo, 18 de dezembro de 2016

Podcast Nerd Esporte #13 - Futebol Brasileiro em 2016



Salve Salve Nerds!



Está no ar mais um Podcast Nerd Esporte! Nesta edição, João e Arthur, junto com o nosso time retrospectivo, escalado com Vitor, Matheus e Nickolas, falam de como foi o futebol brasileiro em 2016. Passamos rápido pelos estaduais, falamos dos tabus da Copa do Brasil, as previsões furadas do brasileirão, o fracasso brasileiro na Libertadores e a histórica Copa Sul-Americana. 
 
Ouça mais essa edição do nosso podcast abaixo:



Faça o download do podcast AQUI

Curta o Nerd Esporte no Facebook

Siga a gente no Twitter

Citado no podcast:

Sequência de defesas do goleiro Armani, do Atlético Nacional




Ouça a edição do ano passado, com os nossos palpites, a partir de 01:19:37 AQUI

Ainda esta semana deverá sair a última edição do podcast no ano. Aguarde e confie que o tema é especialíssimo.


Até mais!

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Brasileirão 2016 - Rodada 38



Salve Salve Nerds!

Mosaico na Arena da Baixada em homenagem à Chapecoense - Foto: Fernando Freire


Desespero, tensão e homenagens à Chapecoense marcaram a rodada derradeira do Brasileirão 2016. Confira o que aconteceu nos nove jogos:

Vitória x Palmeiras

No Barradão, os baianos ainda corriam risco de rebaixamento e jogavam diante do mistão do Palmeiras, que cumpria tabela no campeonato. Aos 12 minutos, sempre ele, Marinho, cobrou falta de esquerda, a bola passou pela defesa e pelo goleiro para entrar, 1 a 0. Três minutos depois, Erik erra jogada perto da área, a bola sobra para Gabriel, que não desperdiça e empata, 1 a 1. E, ainda na primeira etapa, aos 45, Alecsandro arriscou o chute e marcou o gol da virada alviverde, 2 a 1. Mesmo com a derrota, o Vitória se mantém na primeirona e fará o clássico BaVi ano que vem.



Grêmio x Botafogo

Em sua arena, o tricolor gaúcho mais torcia pelo rebaixamento do rival Internacional do que se animava muito com o jogo diante do Botafogo, que precisava do resultado para carimbar a vaga na Libertadores. Aos 16 minutos, Bruno Silva recebeu na entrada da área, dominou de peito, girou e mandou belo chute para marcar o gol botafoguense, 1 a 0. O time carioca ficou com um a menos durante boa parte do jogo, com o segundo amarelo de Airton por briga com Sassá, do próprio time, mas segurou o resultado e está garantido no torneio continental.



Fluminense x Internacional

No jogo que valia a permanência colorada na série A, uma partida bem morna e sem muitas emoções entre as equipes no estádio do America. O drama colorado aumentou no finalzinho da primeira etapa, com pênalti bem questionável a favor dos tricolores. Richarlison cobrou e Danilo Fernandes evitou o pior para os gaúchos. Na segunda etapa, não deu para Danilo Fernandes, que não conseguiu defender o bom chute de Douglas, que acertou a finalização de longe e mandou no canto do goleiro, 1 a 0. No finalzinho do jogo, aos 41, Gustavo Ferrareis arriscou o chute de fora e superou o goleiro Marcos Felipe, 1 a 1. O resultado não foi suficiente e pela primeira vez na história o Internacional é rebaixado para a série B.



São Paulo x Santa Cruz

No jogo que não valia nada para o campeonato, o São Paulo tratou de atropelar o rebaixado Santa Cruz. Com um minuto de jogo, Chavez cruzou para David Neris que, de primeira, fez o gol do tricolor paulista. O segundo veio aos 29, quando Gilberto encontrou espaço na intermediária e arriscou belo chute para ampliar, 2 a 0. 
Aos 46, Cueva foi expulso, mas mesmo assim o ritmo dos paulistas seguiu forte na etapa final. Aos 12 minutos, Chavez recebeu no meio da zaga, passou e chutou por cima do goleiro Miller, 3 a 0. No quarto gol Chavez chutou, o goleiro fez defesa mas deu rebote para Luiz Araújo, que voltou a bola para Chavez dessa vez marcar, 4 a 0. E, aos 36, foi a vez de Luis Araújo. O garoto arrancou, driblou dois marcadores e chutou com estilo para fazer o quinto. Final 5 a 0 São Paulo. 



Ponte Preta x Coritiba

Em outra partida que não valia praticamente nada para a competição, a macaca querida recebeu o coxa. Aos 14 da segunda etapa, William Pottker cobrou pênalti preciso, no canto esquerdo e fez o primeiro, 1 a 0. Aos 19, falha da defesa coxa branca, com o goleiro tentando abafar o lançamento, mas Nino Paraíba chegou antes, cruzou para Ravanelli livre cabecear e marcar o segundo. Final 2 a 0 e melhor campanha da Ponte nos pontos corridos, 53 pontos. Já o Coritiba fica fora da Sul-Americana com a derrota.



Santos x América Mineiro

Querendo o segundo lugar e alguns milhões de reais na conta, o Santos encarou o rebaixado América Mineiro. O jogo não foi aquelas coisas, mas Ricardo Oliveira trouxe os três pontos. Aos 3 minutos da etapa final, ele recebeu cruzamento de Copete na área e cabeceou para marcar. Final 1 a 0 e segunda posição garantida ao peixe.




Atlético Paranaense x Flamengo

Na Arena da Baixada, houveram boas chances de gol, porém as equipes não saíram do zero. O empate deixou o Flamengo em terceiro no campeonato e o furacão se classificou para a Libertadores. 

Cruzeiro x Corinthians

No Mineirão, Cruzeiro e Corinthians fizeram jogo disputado. O timão abriu o placar aos sete minutos. No escanteio cobrado por Uendel, Rodriguinho desviou e Guilherme apareceu para mandar pro gol, 1 a 0. Aos 23, jogada entre Sóbis e Robinho, que tocou para Arrascaeta aparecer com chute sem alcance para Walter, 1 a 1. Na segunda etapa, o Corinthians voltou melhor e conseguiu a virada. Marlone recebeu cruzamento de Fágner e cabeceou para virar o marcador. Mas, a alegria durou pouco. Aos 11, Robinho fez cruzamento para Ezequiel, que com espaço chutou para empatar, 2 a 2. E, aos 13, Alisson tocou para Robinho, que cortou o marcador e chutou com categoria no canto, 3 a 2. Com o resultado, o Corinthians fica de fora da Libertadores.





Sport x Figueirense

Na Ilha do Retiro, o ainda desesperado Sport encarou o rebaixado Figueirense. Aos 2 minutos da etapa final, Rogério driblou dois marcadores, avançou e chutou de fora da área para marcar o primeiro. Já no finalzinho, aos 43, Diego Souza recebeu de Neto na área, chutou desviado e a bola entrou para o décimo quarto gol do meia e artilheiro do campeonato. Final 2 a 0 e o leão segue vivo na primeirona.




O Brasileirão 2016 fica por aqui, agora ficamos no ostracismo, na espera pela volta do nosso amado futebol brasileiro em janeiro.

Até mais! 

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Felipe Massa



Salve Salve Nerds!


Em 2016, Felipe Massa anunciou que se aposentaria da Fórmula 1. Esperamos a temporada terminar para falar de como foi a carreira do piloto, que aos 35 anos e 14 temporadas disputadas depois, pendura as luvas. 

O pequeno Massa em 1994
Felipe Massa nasceu em São Paulo, em 1981, mas acabou passando a infância em Botucatu, interior do estado. Começou bem cedo no kart, correndo já a partir dos oito anos de idade. Como a maioria na época, era fã de Ayrton Senna. Porém, em uma ocasião que foi pedir autógrafo para o ídolo, teve o pedido negado e a partir daí dizem que começou a torcer para Nelson Piquet. Ele fala que o episódio o levou a sempre dar atenção para as crianças que o procuram no dia a dia. 

Antes da Fórmula 1, Felipe passou pelo kart, onde andou até 1997. Em 1998, foi para a Fórmula Chevrolet. No ano seguinte, foi campeão brasileiro da categoria. Em 2000, já foi para a Europa, onde decolou na carreira. Foi campeão da Fórmula Renault Europeia e Italiana. Na temporada 2001, foi campeão da Fórmula 3000 Euro-Series, com impressionantes seis vitórias em oito corridas. 


O jovem talento contratado por Peter Sauber - Foto: Getty Images


Ainda em 2001, Felipe chegou a testar com a equipe Sauber no circuito de Mugello, para em 2002 assinar um contrato com o time para chegar à Fórmula 1. No primeiro ano de F1, Felipe conseguiu pontuar em duas provas, conquistando um quinto e um sexto lugar. A Sauber, por muitos anos, utilizou motor Ferrari e tinha parceria com a escuderia. Assim, Massa se tornou piloto da equipe italiana e ficou em 2003 como piloto de testes da Ferrari. 

Como a equipe italiana tinha Rubinho e Schumacher nos seus bólidos, o brasileiro ficou no aguardo. Sem esse espaço, ele disputou as temporadas de 2004 e 2005 ainda pela Sauber. Em 2004 conquistou 12 pontos, um quarto lugar e um quinto. No ano seguinte, anotou 11 pontos, um quarto e um sexto posto.


Festa na primeira vitória de Massa no Brasil - Foto: Mark Thompson - Getty Images

No final de 2005, Rubens Barrichello anunciou a saída da Ferrari e assim abriu as portas para a entrada de Massa na tradicional equipe. Ali começou a história de oito temporadas corridas pelo time de Maranello. Na primeira temporada como ferrarista, Massa conquistou a primeira vitória da carreira, no GP da Turquia. Ele ainda conseguiu mais uma vitória, justamente no GP do Brasil. O brasileiro fez grande prova e com seu macacão verde e amarelo foi pra galera comemorar a vitória de um brasileiro em casa depois de treze anos. Ele fechou a temporada 2006 com 80 pontos, duas vitórias, três segundos lugares, dois terceiros, dois quartos e três quintos.




Com a aposentadoria de Michael Schumacher, Felipe ganhou mais espaço na equipe, correndo agora ao lado de Kimi Raikkonen, vindo da Mclaren. No ano de 2007, Massa começou bem, vencendo duas das quatro primeiras provas. Porém, na reta final faltou mais constância e ele terminou em quarto. Esse ano foi decidido na última prova, em Interlagos, com Kimi Raikkonen superando Fernando Alonso e Lewis Hamilton, da Mclaren, por apenas um ponto, 110 a 109.

Em 2008, Massa teve o melhor ano da carreira como piloto. O começo de temporada não parecia animador, com dois abandonos seguidos nas duas primeiras etapas, mas o brasileiro venceu três das seis corridas seguintes e se colocou na briga pela taça, assumindo a ponta do campeonato. Entre vitórias e desempenhos ruins, como um décimo sétimo lugar na Hungria, Massa seguia como forte candidato. Uma das provas que custou caro para o brasileiro foi o GP de Cingapura, onde o piloto teve a bomba de combustível presa ao carro, o que custou a vitória na prova.

Já no último GP, no Brasil, Felipe precisava vencer e torcer para Hamilton no máximo terminar em sexto para ser campeão. Hamilton largou nervoso e o resultado estava ajudando Massa até a última volta, quando Timo Glock, da Toyota, perdeu posição para Vettel, caindo para o quinto posto, e na última curva, perdeu o quinto lugar para Hamilton, que assim conquistou o título. O mais trágico foi que Massa já havia passado da linha de chegada e a torcida brasileira vibrava eufórica pelo até então título. Assim, vice-campeonato para o brasileiro, perdendo por apenas um ponto, 98 a 97.





Para 2009, a Ferrari já não vinha como a equipe mais forte ou das mais fortes da categoria. O time ficava atrás da recém-criada Brawn GP, ex-Honda e criada por Ross Brawn, e da Red Bull, que vinha com Sebastian Vettel e Mark Webber. Jenson Button foi o campeão da temporada, com a incrível arrancada de seis vitórias nas primeiras sete provas do ano. Sebastian Vettel foi o vice-campeão, passando Rubens Barrichello na reta final do campeonato. Para Massa, foi o pior ano da carreira. O piloto sofreu um grave acidente na classificação do GP da Hungria, quando uma mola do carro de Rubinho bateu no capacete de Massa e atingiu a parte de cima do olho. Felipe ficou no hospital durante vários dias e não correu o restante da temporada, dando lugar a Luca Badoer e Giancarlo Fisichella.

Em 2010, o campeonato foi disputado entre quatro pilotos: Sebastian Vettel e Mark Webber, da Red Bull, Fernando Alonso, da Ferrari, e Lewis Hamilton, da Mclaren. Vettel levou o primeiro dos quatro títulos mundiais que tem. Já Massa foi deixado de lado na Ferrari, já que Fernando Alonso chegou e assumiu o posto de primeiro piloto do time. O brasileiro terminou o campeonato em sexto lugar, com dois segundos lugares e três terceiros.

No ano seguinte, Vettel foi o campeão com folgas, vencendo 11 das 19 provas do ano e não ficando no pódio em apenas duas. Jenson Button, já na Mclaren, foi o vice. Massa seguiu como o piloto número dois da Ferrari e encontrava problemas maiores. O maior episódio foi quando o time pediu para que o brasileiro deixasse Alonso passá-lo, pois o espanhol estaria mais rápido que ele na pista. Foi uma manobra embaraçosa no mínimo. Massa terminou a temporada novamente em sexto, porém sem pódios conquistados.

Já 2012 começou disputado na Fórmula 1, com sete vencedores diferentes para as sete primeiras etapas. No final, Vettel disputou o título com Alonso novamente e venceu. Após mais de dois anos, Massa terminou no pódio, no GP do Japão, e voltou com um terceiro lugar no GP do Brasil, o último da temporada. Felipe ficou em sétimo no campeonato, com 122 pontos.

Para 2013, Vettel fez a melhor temporada da carreira em vitórias, conseguindo impressionantes 13 triunfos em 19 provas. Fernando Alonso foi novamente vice-campeão. Já para Massa foi dos piores anos, conseguindo apenas um terceiro lugar na Espanha. Ele somou 112 pontos e ficou em oitavo na tabela. Com o desempenho piorando e a situação na Ferrari ficando mais crítica, ele preferiu não continuar e seguiu para a Williams.

Foto via HTE Sports


Apostando no projeto da Williams, que recebia um grande patrocínio e prometia a volta aos bons tempos, quando brigava por títulos e vitórias, Felipe Massa assinou o contrato com a equipe. O início de temporada dele não foi tão forte, com três abandonos e apenas um quarto lugar na primeira metade do ano. Na segunda parte, o brasileiro engrenou melhores resultados, conquistando dois terceiros e um segundo lugar, marcando no total 134 pontos. Valtteri Bottas, parceiro promissor de Massa, fechou o campeonato em quarto lugar. O campeão da temporada foi Lewis Hamilton, vencendo 11 provas contra cinco de Nico Rosberg, o vice.

Em 2015, quando se imaginava uma Williams mais forte, após um ano de experiência, o time não conseguiu se manter ao menos como segunda equipe mais forte. A equipe de Sir Frank Williams terminou o mundial de construtores em terceiro, mas muito atrás de Mercedes e Ferrari na pontuação. Valtteri Bottas anotou 136 pontos e dois terceiros lugares, enquanto Massa fez 121 e os mesmos dois pódios, na Áustria e na Itália. O brasileiro terminou em sexto o campeonato e Bottas em quinto. Lewis Hamilton foi novamente o campeão, conquistando dez vitórias e seis segundos lugares em dezenove provas, ficando fora do pódio em apenas duas etapas.


O carro da despedida no Brasil - Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press


No último ano na categoria, 2016, Felipe Massa viu a Williams cair mais um pouco em qualidade, inclusive terminando o campeonato em quinto, atrás também da Force India, além de Mercedes, Red Bull e Ferrari. O time conseguiu apenas um pódio, com Bottas no Canadá, para no restante sofrer mais no meio do grid. Massa teve como melhores resultados dois quintos lugares, na Austrália e na Rússia, enquanto abandonou em quatro etapas. O brasileiro fez apenas 53 pontos, enquanto Bottas anotou 85. Como pudemos ver esse ano, Nico Rosberg superou Lewis Hamilton e conquistou o primeiro título mundial, com 10 vitórias e cinco segundos lugares, num total de 385 pontos conquistados.

Na carreira toda, foram 252 corridas participadas, com 250 largadas. Foram 11 vitórias, 41 pódios (13 segundos lugares e 17 terceiros), 1124 pontos, 16 pole positions e 15 voltas mais rápidas da prova. O desempenho de Massa pode ser mais comparado com o de Rubens Barrichello, que teve 323 GPs, 14 vitórias, 11 pole positions e 658 pontos, performance semelhante entre os pilotos do país.

Com a aposentadoria de Massa, o país corre o sério risco, como chegamos a falar AQUI, de não termos um piloto brasileiro na categoria, já que Felipe Nasr não depende dele mesmo para seguir na Sauber. E, mesmo que ele siga na equipe, o time não tem condições de brigar por vitórias e menos ainda títulos.

Agradecemos a Felipe Massa pela carreira e grandes momentos proporcionados aos torcedores brasileiros. Fica aquele sentimento de que ao menos o título de 2008 poderia ter vindo, mas sem dúvidas Massa é um grande piloto e que pode ainda brilhar em outras categorias pelo mundo.


Até mais!

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Estatísticas do título de Nico Rosberg




Salve Salve Nerds!

Foto: AP


Com o título mundial merecido nas mãos de Nico Rosberg, vamos falar de alguns números dessa conquista, algumas estatísticas que explicam o primeiro título mundial do alemão e outros dados interessantes relacionados.

Graham e Damon Hill - Foto: Divulgação

Nico Rosberg e o pai, Keke, igualam o único pai e filho que já haviam sido campeões da Fórmula 1 na história. Graham Hill, o pai, foi campeão em 1962, na BRM, ganhando quatro das nove provas da temporada. Jà Damon foi vencedor da temporada de 1996, com a Williams, vencendo oito das dezesseis provas do ano. A família Rosberg começou o feito de pai e filho com o pai, Keke, ganhando a temporada de 1982. Ele correu pela Williams e venceu apenas uma prova das dezesseis disputadas. O diferencial ficou nos pódios, foram sete. E esse ano, Nico foi campeão ganhando nove das vinte e uma provas do calendário.
Um fato curioso é que o intervalo de títulos de pais e filhos campeões foi de 34 anos para ambos. Nem Damon, Graham ou Keke conseguiram mais de um título, fica o desafio para Nico quebrar a escrita. 

via Wikipedia/WTF1

Como você pode conferir na tabela logo acima, Nico Rosberg era o piloto a ter mais vitórias na Fórmula 1 e não ter sido campeão, com 23 triunfos. Como ele conseguiu agora o caneco, o recorde permanece com Stirling Moss, com 16 vitórias. Rubens Barrichello é o recordista de mais provas disputadas sem ter sido campeão mundial, com 326 corridas disputadas. 

Nessa temporada, Rosberg venceu nove provas, ficou no pódio em 16 das 21 provas, fez oito pole positions e seis voltas mais rápidas da prova. Na carreira toda, Nico tem 23 vitórias, 57 pódios, 1594,5 pontos, 30 pole positions e 20 voltas mais rápidas. Ele é o quinto maior pontuador da história da categoria, atrás apenas de Schumacher, Alonso, Vettel e Hamilton. 

Com o título de Nico Rosberg, a Alemanha alcança impressionantes 12 títulos da Fórmula 1, atrás apenas da Itália, que tem 16. O Brasil é o terceiro com oito. Nas últimas dez temporadas, o país venceu cinco campeonatos. 

Foram 486 voltas lideradas nessa temporada, contra 498 voltas lideradas por Lewis Hamilton. Sebastian Vettel, o terceiro a mais liderar voltas, ficou na ponta em apenas 90 voltas. 

A Mercedes venceu impressionantes 19 provas das 21 do ano, perdendo apenas duas provas, vencidas por Max Verstappen e Daniel Ricciardo. A maior sequência de Rosberg na temporada foi quando venceu as quatro primeiras provas. Já Hamilton venceu as quatro últimas.

Entre os salários dessa temporada, Rosberg não foi o líder e nem ficou no pódio, O alemão tem o quarto maior salário anual, 18,6 milhões de euros. Sebastian Vettel (27,5 milhões), Lewis Hamilton (28,5 milhões) e Fernando Alonso (36,5 milhões) ganham mais que o atual campeão mundial, que deverá ter um aumento depois da conquista.

Para fechar, veja a homenagem de Rosberg para os pais, agradecendo todo o apoio que teve na carreira para chegar até agora, campeão da Fórmula 1:




Até mais!

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Brasileirão 2016 - Rodada 37



Salve Salve Nerds!

Foto: Gazeta Esportiva
Penúltima rodada do brasileirão e tivemos mais emoções, com definição do título já para o Palmeiras e briga seguindo intensa pelo G-6 e contra a queda.

Antes de falarmos dos jogos, gostaríamos de prestar nossa solidariedade a todos os falecidos no trágico acidente aéreo ocorrido na Colômbia, em que a delegação, jogadores da Chapecoense, jornalistas e a tripulação do avião estiveram envolvidos. Apenas cinco deles sobreviveram, enquanto 71 deixaram muitos sonhos e famílias para trás. Uma das maiores tragédias da história do futebol, antes do jogo da final da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional.

Ontem foi um dia muito triste e que preferimos ficar sem postar os resultados do brasileirão, até por não haver clima para isso. Desejamos muita força a todas as famílias, amigos e ao povo de Chapecó, que perdeu um dos seus maiores orgulhos nesse acidente.




Botafogo x Ponte Preta

Querendo se firmar no G-6, o Botafogo encarou a Ponte Preta. A equipe da casa saiu na frente em gol de Sassá, aproveitando o rebote do goleiro. No entanto, a macaca querida correu atrás e, mesmo com um a menos, Clayson foi expulso, William Pottker marcou de cabeça e empatou, 1 a 1. O fogão poderia ter carimbado a vaga na Libertadores na rodada, mas agora precisará vencer o próximo compromisso, diante do Grêmio na Arena, para se classificar sem depender de outros resultados. Já a Ponte Preta ficou estacionada no meio da tabela e jogará o último jogo para cumprir regra.




América Mineiro x Sport

No Independência, o já rebaixado América recebeu o ainda preocupado Sport. O leão saiu na frente do América com Rodney Wallace, que recebeu depois de tabelinha do ataque e tocou pro gol. Na segunda etapa, o coelho empatou com Danilo Barcelos, que aproveitou cruzamento na área e marcou de cabeça. A virada veio com Michael, que aproveitou desvio de escanteio e mandou pro gol. O Sport empatou com Ronaldo Alves, depois de falta cruzada por Diego Souza. Final 2 a 2. Para o América, nada de mudanças, enquanto o Sport vai para a última rodada do campeonato ainda com chances de rebaixamento.




Corinthians x Atlético Paranaense

Em São Paulo, Corinthians e Atlético se enfrentaram e fizeram a pior partida da rodada. O timão foi melhor e criou algumas chances de gol, mas no restante de partida o jogo foi um tanto quanto feio e acabou ficando zerado no placar. O Corinthians vê as chances de Libertadores ficarem complicadas e dependendo de derrotas de Botafogo ou do próprio furacão, enquanto o Atlético se classifica ganhando do Flamengo em casa.

Flamengo x Santos

No duelo direto pela segunda posição do campeonato, o Flamengo recebeu o Santos. O peixe não entrou tão bem no jogo e viu o Flamengo aproveitar falha da defesa para marcar com Guerrero o primeiro. Na segunda etapa, no finalzinho, aos 39, Pará cruzou e Diego se esticou para tocar na bola na segunda trave e marcar, 2 a 0. Se o Flamengo vencer o próximo jogo, diante do Atlético Paranaense fora de casa, se classifica em segundo. Se o Santos vencer o América Mineiro e o Flamengo não vencer, peixe em segundo.




Palmeiras x Chapecoense

No jogo que poderia decidir o título do campeonato, o Palmeiras recebeu a Chapecoense, podendo até empatar para levar o nono título nacional de sua história. O jogo foi nervoso e poucas chances mais claras de gol aconteceram, para mais nervosismo dos jogadores e torcedores presentes. Aos 25 da primeira etapa, Moisés tocou de letra e mandou para Fabiano, que com a bola no ar chutou encobrindo o goleiro Danilo e marcando um belo gol, 1 a 0. No restante de jogo, os donos da casa conseguiram algumas oportunidades, porém não marcaram mais nenhum gol. O finalzinho ficou por conta da homenagem para o goleiro Fernando Prass, que voltou de lesão e substituiu Jaílson nos minutos finais. Final 1 a 0 e Palmeiras campeão brasileiro após 22 anos.




Atlético Mineiro x São Paulo

Em partida que as duas equipes já não tinham muitos objetivos na competição, o Atlético recebeu o São Paulo. No primeiro tempo, o galo abriu o placar com Hyuri, após cruzamento de Carlos Eduardo. O tricolor paulista empatou ainda na primeira etapa com Maicon. O zagueiro se arriscou cobrando falta e mandou a bola no ângulo, 1 a 1. Na segunda etapa, na bacia das almas, aos 45 minutos, Gilberto recebeu livre na área e chutou para virar o jogo, 2 a 1. O Atlético segue em quarto e o São Paulo está em décimo primeiro.




Internacional x Cruzeiro

No Beira-Rio, o desesperado Internacional encarou o Cruzeiro. E as esperanças coloradas se renovaram nessa partida. Aos 30 minutos da segunda etapa, quando as coisas pareciam caminhar para uma tragédia, Valdívia avançou da intermediária e chegou até a entrada da área, chutando colocado no canto do gol para marcar. Final 1 a 0. Mesmo com a vitória, o Inter fica numa situação complicadíssima, já que o Vitória venceu. Agora, o time precisará vencer e torcer para o Sport perder ou empatar contra o Figueirense em casa. Os colorados precisam vencer também o Fluminense fora de casa. 



Figueirense x Fluminense

Em um jogo que não valia muita coisa, o Figueirense já está rebaixado e o Fluminense não tem chances de Libertadores, as equipes se enfrentaram no Orlando Scarpelli. O único gol da partida foi anotado por Marquinhos, que aproveitou cruzamento e cabeceou pra marcar. Final 1 a 0.




Santa Cruz x Grêmio

Em outra partida que não valeu muita coisa e não prometia tanto, o Santa Cruz recebeu o Grêmio. Apesar do desinteresse das equipes, o santinha já está rebaixado e o tricolor gaúcho foi com time reserva, o jogo foi cheio de gols. Na primeira etapa, não tivemos gols, mas já aos dois minutos do segundo tempo, Keno cruzou para Grafite subir e marcar, 1 a 0. Aos 7 minutos, o tricolor gaúcho empatou. Bolaños tabelou com Pedro Rocha e entrou na área para marcar, 1 a 1. Mas o santinha não perdeu muito tempo e aos 15 já virou o placar. Grafite cabeceou para grande defesa do goleiro Léo, que deu rebote para Léo Moura marcar.
Aos 40, Roberto caprichou na cobrança de falta e fez o terceiro do time da casa. Dois minutos depois, boa jogada do ataque cobra coral e Vitor cruzou na área para Grafite aparecer e marcar mais um, 4 a 1. E, aos 44, Arthur recebeu na intermediária, avançou e puxou pro meio para chutar e marcar o quinto, final 5 a 1.




Coritiba x Vitória

No Couto Pereira, o já sem chances de cair Coritiba encarou o desesperado Vitória, que precisava vencer para seguir na luta para se salvar. E os baianos contaram novamente com a estrela de um jogador para vencerem. Marinho pegou a bola na lateral direita do campo, avançou, driblou os marcadores, invadiu a área e chutou fora do alcance do goleiro, 1 a 0. O Coritiba até reagiu e chegou perto de marcar, mas no geral a partida foi morna e o Vitória conseguiu praticamente se salvar do rebaixamento com os três pontos.
Para cair, o time teria que perder, o Sport e o Internacional vencerem, sendo que o Inter precisaria tirar um saldo de cinco gols para os baianos.



Devido a tragédia ocorrida com o avião que transportava a Chapecoense, a última rodada do brasileirão foi adiada para o próximo final de semana, dias 10 e 11. A final da Copa do Brasil também foi adiada em uma semana, com o segundo jogo entre Grêmio e Atlético Mineiro remarcado para o dia 7.



domingo, 27 de novembro de 2016

F1 2016 - GP de Abu Dhabi



Salve Salve Nerds!



Após uma classificação normal e conforme o esperado, dobradinha da Mercedes, tivemos hoje a hora da verdade, a briga entre Lewis Hamilton e Nico Rosberg pelo título da temporada. Rosberg já saía em vantagem, pois tinha 12 pontos de vantagem para o companheiro de equipe. Ele poderia terminar em terceiro e ver Hamilton ganhar que ainda seria campeão. Além da decisão pelo título, tivemos as aposentadorias de Felipe Massa e Jenson Button, que agora seguem seus caminhos após mais de quinze anos na categoria.

Na largada, Hamilton manteve a ponta e Rosberg se manteve em segundo. Raikkonen se manteve em terceiro, Ricciardo quarto e Vettel quinto. Verstappen rodou e foi pro fundo do grid na primeira curva. No fundo do grid, Verstappen vinha passando os adversários e de último já era décimo quinto após passar Grosjean. Bottas passou Massa pela nona posição.



Magnussen, com problemas no carro, foi chamado para abandonar a prova. Massa deu o troco e passou Bottas na volta 5. Enquanto isso, na frente do grid, Hamilton mantinha um segundo de vantagem para Rosberg e o alemão estava quase dois segundos na frente de Raikkonen. Bottas foi chamado para os boxes e teve o carro recolhido com problemas na suspensão. Com apenas sete voltas, Hamilton foi chamado para os boxes. Ele tirou os pneus ultramacios e colocou os macios.

Na volta seguinte, Rosberg foi chamado. As Mercedes usaram a mesma estratégia de pneus e de corrida durante o final de semana todo. O piloto alemão voltou com pequena vantagem sobre Raikkonen, no momento sexto colocado. Sem as paradas todas feitas, Ricciardo liderava, seguido por Perez, Hamilton, Verstappen e Rosberg. Na décima volta, quando teoricametne poderia ficar mais tempo na pista, pois estava com pneus supermacios, Ricciardo foi para os boxes e voltou com pneus macios.

Grande briga entre Raikkonen e Ricciardo, com o australiano tentando ganhar a posição do finlandês. Rosberg tentava passar Verstappen, para não perder tempo, mas o piloto da Red Bull não aliviava. Na volta 12, Perez foi pra cima de Button e conseguiu o oitavo lugar sem dificuldades. Button quebrou a suspensão da roda dianteira direita e conduziu o carro para os boxes, abandonando na última prova da carreira na Fórmula 1. Piloto ovacionado pela torcida e pelas equipes na volta aos boxes.


 
Na volta 16, Kvyat abandonou com problemas no motor, causando bandeira amarela e a desativação do uso da asa móvel momentaneamente. Ricciardo errou tentando passar Raikkonen e Vettel encostou de vez para tentar a ultrapassagem pela quinta posição. Rosberg colocou de lado na curva e tentou passar Verstappen. O holandês protegeu e conseguiu se manter, mas Rosberg chegou de novo na reta e conseguiu fazer a ultrapassagem com habilidade. 

Volta 22 e Verstappen foi enfim para os boxes, colocando também pneus macios. E três voltas depois, Ricciardo foi para os boxes, com pneus macios para ir até o final. Verstappen, em sexto, vinha pra cima de Perez, colocou de lado na curva e passou o mexicano. Grosjean foi tentar passar Gutierrez e o mexicano fechou as portas para o francês, inclusive chegando a baterem os carros, que reclamou bastante.  

Ricciardo também passou Perez, que no momento, volta 28, era perseguido por Raikkonen. O mexicano acabou indo para os boxes antes da chegada do finlandês. Verstappen vinha voando e fazia a melhor volta da prova, querendo tirar tempo suficiente para a parada a menos que faria em relação às Mercedes. Reagindo a isso, a Mercedes chamou Hamilton, para a equipe realizar a parada e voltar antes do tempo entre eles e Verstappen ser menor que o tempo de parada. Hamilton parou e voltou na ponta, enquanto Rosberg parou na volta seguinte. O alemão voltou três segundos na frente de Verstappen. 

Sem as paradas feitas, Vettel liderava, seguido por Hamilton, Rosberg, Verstappen e Ricciardo. Na volta 33, Hamilton vinha segurando o ritmo, para que o restante do pelotão alcançasse ele e Rosberg para haver disputas pela posição de Rosberg. Verstappen vinha se aproximando das flechas prateadas. Valendo a oitava posição, Perez usou bem o motor Mercedes e passou Alonso. 

Vettel parou na vola 38 e deixou a liderança provisória da prova. Colisão entre Nasr e Ocon, com Nasr perdendo um pedaço da asa com a batida. Ainda no fundão, Palmer passou Ericsson e Sainz pegou o embalo para também passar o piloto da Sauber. Briga caseira na volta 41 entre Vettel e Raikkonen, com o alemão de pneus bem mais novos que os do companheiro de Ferrari. 

Palmer errou a freada e bateu na traseira do carro de Sainz. O espanhol precisou abandonar a prova. Palmer foi punido com 5 segundos acrescidos no tempo de prova pela batida. Vettel vinha voando na pista e tirando enormes diferenças para os líderes a cada volta, quando restavam nove para o final. Ele foi pra cima de Ricciardo e passou bonito por fora o piloto da Red Bull. 

Na volta 50, todos próximos nos quatro primeiros lugares. Rosberg viu o perigo aparecer e começou a tentar passar Hamilton, que até o momento segurava o jogo. Vettel foi pra cima de Verstappen. Na habilidade, Vettel passou na volta seguinte Verstappen e foi voando pra cima de Rosberg. Restando três voltas, Vettel vinha colando nas Mercedes, enquanto a equipe dava ordens para Hamilton parar de segurar o ritmo. 

Duas voltas para o final e seguia a perseguição de Vettel. Rosberg viu Hamilton abrir mais e perdia a chance de tentar uma ultrapassagem pela liderança. Última volta da prova e da temporada, mas não deu para Vettel chegar em Rosberg. Final de prova e final de temporada! Nico Rosberg é o trigésimo terceiro campeão mundial da categoria! Venceu Lewis Hamilton, mas não conseguiu a taça. Em segundo Rosberg, terceiro Vettel, quarto Verstappen, quinto Ricciardo, sexto Raikkonen, sétimo Hulkenberg, oitavo Perez, nono Massa, décimo Alonso. 






Com o título mundial de Rosberg, teremos cinco campeões mundiais na próxima temporada: Lewis Hamilton, Nico Rosberg, Fernando Alonso, Kimi Raikkonen e Sebastian Vettel.

Rosberg festejando até com Bernie Ecclestone:




A Fórmula 1 volta somente no ano que vem, mas teremos antes disso alguns posts especiais. Agradecemos pela presença nessa temporada, que não conseguimos acompanhar todas as provas, mas que ficamos felizes pelo trabalho que pudemos fazer. 

Até mais!

sábado, 26 de novembro de 2016

F1 2016 - Classificação GP de Abu Dhabi



Salve Salve Nerds!

 
No último GP do ano, a decisão pelo título entre Nico Rosberg e Lewis Hamilton segue viva. Hamilton precisa conseguir tirar a diferença de 12 pontos para o companheiro de equipe para ser campeão, enquanto Rosberg pode administrar a vantagem, até pela diferença dos carros para os concorrentes.

Na qualificação, Hamilton fez o primeiro tempo no Q1, seguido das Ferrari de Kimi Raikkonen e Sebastian Vettel, e de Max Verstappen, Rosberg veio em seguida, em quinto. Ficaram de fora, na turma do fundão do grid: Daniil Kvyat, Kevin Magnussen, Felipe Nasr, Esteban Ocon, Carlos Sainz e Marcus Ericsson. 



No Q2, as flechas prateadas seguiram dominando, com Hamilton em primeiro e Rosberg segundo. Kimi Raikkonen foi o terceiro, Max Verstappen o quarto e Sebastian Vettel o quinto. Ficaram de fora no Q2: Valtteri Bottas, surpresa com o carro que tem, Jenson Button, Esteban Gutierrez, Romain Grosjean e Jolyon Palmer. Destaque positivo para Fernando Alonso, mais uma vez colocando a Mclaren no Q3 com o décimo lugar. 


Na última parte, o Q3, já na primeira volta lançada Lewis Hamilton fez o primeiro tempo e deixou Rosberg em segundo. Na segunda volta, o inglês manteve a dianteira e melhorou o tempo, confirmando a pole position. Segundo Rosberg, terceiro Daniel Ricciardo, superando as Ferrari, quarto Kimi Raikkonen, quinto Sebastian Vettel, sexto Max Verstappen, sétimo Nico Hulkenberg, oitavo Sergio Perez, nono Fernando Alonso e décimo Felipe Massa, que vai para o último GP da carreira. Pole position de número 61 de Lewis Hamilton, a apenas sete de igualar Senna com 68.


Para amanhã, Hamilton precisa vencer e torcer para Rosberg terminar apenas em quarto, ou mais de 12 pontos atrás dele, já que o vencedor leva 25 e o quarto 12. Missão complicadíssima, pensando que uma dobradinha da equipe é o mais provável e que vem se repetindo na temporada. 

Imagem via James Allen on F1


Confira os melhores momentos da classificação AQUI

Até mais!

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Copa do Brasil e Sul-Americana



Salve Salve Nerds!

Foto: Nelson Almeida / AP


Nesta quarta-feira, o futebol brasileiro viveu fortes emoções com dois grandes jogos que movimentaram o Mineirão e a Arena Condá. Duas partidas decisivas e que antecedem capítulos com mais momentos importantes.

Pela grande final da Copa do Brasil, o Atlético Mineiro recebeu o Grêmio no primeiro jogo da decisão no Mineirão. O galo parecia sem muita orientação em campo e não conseguia fazer valer o fator casa, havia pouca ligação do meio com o ataque do time. Aos 29 minutos, o Grêmio fez bem a ligação do contra ataque e Maicon lançou Pedro Rocha no meio da defesa. O garoto não desperdiçou a chance, limpou o zagueiro e chutou para abrir o placar, 1 a 0 Grêmio.
Na segunda etapa, aos 29, de novo Pedro Rocha. O menino fez jogada individual da intermediária, passou por três marcadores e limpou Victor para ampliar. Na comemoração, ele tirou a camisa e ganhou cartão amarelo. Aos 21, ele ganhou amarelo por falta e foi expulso.
Com um a mais em campo, o Atlético Mineiro tomou conta do jogo e foi pra cima, querendo um gol que pudesse dar sobrevida para a equipe. Aos 36, escanteio cobrado por Fábio Santos, que chegou certo no meio para Gabriel chegar chutando e marcar, 2 a 1.
O jogo era todo de pressão do galo, que crescia e tentava um empate que seria heroico diante do resultado que estava. Mas, quis o destino que Everton, que entrou depois no jogo, aparecesse. Aos 45, ele viu Pedro Geromel se arriscar de ponta direita, avançar, cruzar da linha de fundo e mandar para o atacante marcar o terceiro, 3 a 1.
A partida de volta será semana que vem, na Arena do Grêmio. O tricolor gaúcho pode perder por um gol de diferença que ainda leva o caneco depois de 15 anos.




Já na Copa Sul-Americana, a Chapecoense recebeu o San Lorenzo no jogo de volta da semifinal. A primeira partida havia sido 1 a 1 na Argentina, então os catarinenses podiam jogar por um empate sem gols ou caso vencessem passavam. O jogo foi bem morno, sem muitas oportunidades, principalmente na primeira etapa. No segundo tempo, o jogo seguiu bem segurado pelos donos da casa e apenas no final que o drama aconteceu. O San Lorenzo apostou nos contra golpes e nos cruzamentos. No lance final do jogo, cruzamento na área e Blandi chutou à queima roupa para Danilo realizar um milagre e salvar a Chapecoense. Final 0 a 0. O verdão do oeste agora aguarda o vencedor de Atlético Nacional e Cerro Porteño para a final, que ainda não tem local definido para o jogo na casa dos brasileiros, podendo ser Porto Alegre ou Curitiba.





Até mais!

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Brasileirão 2016 - Rodada 36



Salve Salve Nerds!



Com três rodadas restando para o final do campeonato, vamos acompanhar o drama e a emoção que rondam as rodadas derradeiras do brasileirão. Na trigésima sexta rodada, com nove jogos no domingo e um apenas na segunda, tivemos mais um rebaixado e o título mais do que encaminhado. 

Vitória x Figueirense

No Barradão, o Vitória atropelou o Figueirense no jogo dos desesperados. O time da casa não tomou conhecimento e com grande atuação de Marinho goleou os catarinenses por 4 a 0. Willian Farias, Zé Love, Kieza e Marinho marcaram. A equipe chegou aos 42 pontos, três a mais que o Internacional e tomou um fôlego na luta contra a queda. Já o Figueirense é rebaixado com duas rodadas de antecedência. Equipe que não conseguiu ter um estilo de jogo convincente ao longo da competição, trocou várias vezes de treinador e jogará a segundona ano que vem.




Palmeiras x Botafogo

Em sua arena, o Palmeiras encarou o Botafogo, podendo ficar com o título, enquanto os cariocas queriam a vitória para se firmar na luta pela Libertadores. A partida foi complicada para os donos da casa, que não encontraram muitos espaços. Na segunda etapa, com mais espaço, Gabriel Jesus cruzou na medida para Dudu marcar de cabeça e dar a vitória ao alviverde. Final 1 a 0. Com a vitória, a equipe precisa apenas empatar com a Chapecoense na próxima rodada para ficar com o caneco. Já o Botafogo liga o sinal de alerta pela vaga na Libertadores, com quatro jogos sem vencer.




Cruzeiro x Santos

No Mineirão, o Cruzeiro, sem muitos objetivos na competição, recebeu o Santos, que acreditava ainda no título nacional. Aos 21 da primeira etapa, Arrascaeta aproveitou bobeira da defesa santista e chutou para abrir o placar, 1 a 0 Cruzeiro. Logo aos 2 minutos da segunda etapa, Ricardo Oliveira recebeu passe de Romero, do Cruzeiro, e não desperdiçou de frente para o gol, 1 a 1. Aos 16, o peixe virou de pênalti. Ricardo Oliveira cobrou e marcou, 2 a 1. Nada parecia muito favorável ao Cruzeiro, que reclamou de pênalti não marcado e teve ainda Arrascaeta expulso. Mas, na bacia das almas, aos 43 minutos, Manoel subiu no cruzamento e marcou, 2 a 2 e final de jogo. O Cruzeiro segue no meio da tabela, enquanto o Santos vê o Palmeiras ficar seis pontos a frente restando dois jogos para o fim. Ao menos o peixe confirma sua presença na fase de grupos da Libertadores com o resultado. 





Grêmio x América Mineiro

Na sua arena, o Grêmio encarou o rebaixado América Mineiro. Mesmo com os reservas, já pensando na final da Copa do Brasil, o Grêmio passou tranquilo pelo América. Fred, Negueba e Bolaños fizeram os tentos do tricolor gaúcho e colocaram o time em oitavo lugar, com 53 pontos. Já o América amarga as últimas rodadas na primeira divisão com requintes de crueldade.





Atlético Paranaense x Sport

Na Arena da Baixada, o furacão recebeu o ainda ameaçado Sport, querendo se firmar mais ainda como um dos seis classificados para a Libertadores. E a equipe paranaense fez bem o dever de casa. Com os dois gols na primeira etapa, André Lima fez o primeiro e Thiago Heleno o segundo de pênalti, o Atlético pulou para o quinto posto. Já o Sport volta a se preocupar com o Z-4, estando quatro pontos a frente do Internacional apenas.





Ponte Preta x Fluminense

No Moisés Lucarelli, Ponte e Fluminense se enfrentaram ainda sonhando com o G-6. E quem conseguiu se sair melhor foi a macaca, que marcou com Wendel. O jogador recebeu lançamento e mandou um toquinho para encobrir o goleiro, 1 a 0. As duas equipes estão com 49 pontos na tabela, mas com realidades diferentes. A Ponte vem de um empate e uma vitória, enquanto o tricolor carioca segue sem ganhar há oito jogos. Com um potencial G-7, as equipes ainda podem sonhar com Libertadores, mas não será fácil.





Flamengo x Coritiba

Em uma das partidas chave na briga pelo título, o Flamengo recebeu o ainda preocupado Coritiba. Logo aos dois minutos de partida, Gabriel abriu o marcador para o time da casa, para alegria dos mais de 40 mil presentes no Maracanã. Aos 28, Everton tocou para Diego, que completou para o gol, 2 a 0. Ainda na primeira etapa, aos 42, o coxa reagiu com Amaral, que pegou rebote de chute de Kazim no travessão e diminuiu. No segundo tempo, o jogo seguiu aberto e equilibrado. Quando o Flamengo parecia segurar o resultado e assim seguiria sonhando com o título, Kléber Gladiador tratou de acabar com a festa. O atacante recebeu na entrada da área, limpou o marcador e chutou para empatar aos 42 do segundo tempo. Final 2 a 2. Flamengo agora sem chances matemáticas de título e Coritiba salvo do rebaixamento.




Chapecoense x São Paulo

Empolgada e de olho na Sul-Americana, a Chapecoense recebeu o São Paulo na Arena Condá. E os donos da casa não deram chances para os visitantes. Em sete minutos, o time matou o jogo. Aos 39, tabelinha do ataque que chegou em Dener, que chutou cruzado sem chances de defesa para Dênis, 1 a 0. Aos 46, Tiaguinho recebeu na entrada da área e com espaço arriscou o chute, que encontrou o endereço no fundo do gol, 2 a 0. No segundo tempo o São Paulo até tentou, mas parou na boa defesa catarinense, final 2 a 0. Para o verdão do oeste, vitória que deixa a equipe apenas três pontos atrás do Botafogo, sexto colocado. Já o tricolor paulista fica no meio da tabela e sem objetivos na competição.




Santa Cruz x Atlético Mineiro

No Arruda, o já rebaixado santinha recebeu o Atlético para o jogo mais disputado da rodada. O jogo já começou animado, com Fred pegando rebote de Tiago Cardoso e abrindo o placar aos 5 minutos. Aos 12, Leonam bateu a mão na bola e o juiz marcou pênalti para o Santa Cruz. Grafite cobrou e empatou, 1 a 1. Já aos 30, Keno recebeu lançamento na intermediária, avançou e da entrada da área mandou um chutaço colocado, no ângulo e sem chances para o goleiro, 2 a 1. No segundo tempo, aos 9, Rafael Carioca fez boa jogada e lançou Clayton, que recebeu, tirou o zagueiro e chutou para empatar de novo a partida, 2 a 2. Mas, a alegria do galo durou pouco. Aos 13, Keno lançou Vitor, que de primeira chutou por baixo das pernas do goleiro Giovanni. Em confusão, Cazares e Jadson foram expulsos, deixando os times com 10 cada.
Aos 34, quando o santinha era melhor e criava mais, Fred lançou Hyuri, que tocou por cima do goleiro Tiago Cardoso. Final 3 a 3. Para o Santa Cruz restam dois jogos para o adeus, enquanto o Atlético Mineiro tentará mesmo garantir a vaga na fase de grupos da Libertadores pela Copa do Brasil, porque pelo brasileiro está complicado.





Corinthians x Internacional

No jogo mais nervoso e tenso da rodada, valendo Libertadores para os donos da casa e a sobrevida na primeira divisão aos visitantes, o Corinthians recebeu o Internacional. O timão foi melhor durante boa parte do jogo e criava as melhores chances de gol, que foram desperdiçadas pelos atacantes e também evitadas em grandes defesas de Danilo Fernandes. A única bola que o arqueiro não salvou foi no pênalti cobrado por Marlone, que aos 9 da segunda etapa converteu. O destaque negativo da partida foi a péssima arbitragem, com vários erros e reclamação do Inter em relação ao pênalti sofrido por Romero. Final 1 a 0. Corinthians segue vivo na luta pelo G-6, enquanto o Inter terá que vencer os dois jogos que restam e ainda torcer contra o Vitória para se salvar. 





Até mais!

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Cricket: Um esporte famoso e desconhecido



Salve Salve Nerds!

Na foto aparecem os dois batsmen e um bowler do outro time

Por Plínio Lopes

É fácil acertar qual é o esporte mais praticado no mundo. O futebol, é claro. Mas você sabe qual é o segundo esporte mais famoso em todo o planeta Terra? É o cricket. Sim, eu sei que você provavelmente nunca ouviu falar sobre cricket, mas isso acontece porque ele tem uma fama pequena aqui no Brasil. Esse primeiro texto vai fazer uma introdução a esse esporte diferente. Pode parecer confuso, mas é bem simples. Nos próximos textos irei explicar cada parte do jogo separadamente.

Para quem entender um pouco de inglês, ainda vale a pena dar uma olhada nesse vídeo que explica a mecânica do jogo:




O cricket foi criado no século XVI e é praticado, principalmente, na Índia, Inglaterra, Austrália, Paquistão e na região da América Central. O jogo possui diferentes estilos, mas dois são os principais: o Test Cricket e o Twenty20. 

Esse esporte também lembra um jogo que fez parte da infância de diversas crianças Brasil afora: o bets ou bet ombro. A similaridade entre os dois é grande, principalmente na mecânica do jogo.

O esporte é praticado entre dois times com 11 jogadores cada. Um time fica no ataque e tem como objetivo marcar pontos, ou corridas (runs). O outro time fica na defesa e precisa eliminar os jogadores adversários acertando a bola na casinha (ou wicket). Assim que todos os atacantes forem eliminados, os times invertem as posições. Vence quem fizer o maior número de pontos com o menor número de eliminados.

O período em que um time ataca (rebate a bola) ou defende (arremessa a bola) é chamado de entrada (ou inning). Cada entrada tem um certo número de arremessos permitidos, normalmente sendo 10 ou 50 overs. Um over é o conjunto de 6 arremessos válidos feitos por um jogador.

Durante a partida, o time que ataca fica com dois rebatedores (ou batsmen) que revezam na rebatida a cada pontuação. O time que defende fica com um jogador arremessando e troca de jogador a cada over. O resto do time defensor fica espalhado no campo para pegar a bola quando ela é rebatida.

Pontuação

O único jeito de marcar pontos é rebatendo a bola. Os pontos são chamados de runs. Se uma bola rebatida cruzar a linha limite do campo tocando no chão, são quatro pontos. Se a bola cruzar essa linha sem tocar no chão, são seis pontos.

O mais comum, porém, é quando o rebatedor consegue rebater a bola para uma área dentro do campo e consegue cruzar a área e trocar de lugar com o outro rebatedor antes que a bola volte para as mãos do arremessador. Isso vale 1 ponto e é bem semelhante ao que acontece no bets.

A pontuação é escrita da seguinte maneira: número de runs/número de jogadores eliminados. Por exemplo, se o time A fez 230 runs e perdeu só 4 jogadores eliminados durante todos os overs que podiam ser lançados, ele fez 230/4. 

A soma da pontuação das entradas é a pontuação final do jogo. Dependendo do estilo do jogo, ele pode ter mais de uma entrada.

Campo

O campo de jogo do crícket tem diferentes tamanhos e possui duas áreas principais. O pitch é onde a ação acontece com os wickets, os rebatedores e os arremessadores. É o retângulo central da imagem.

A parte verde escura é chamado de outfield. O final dela é a linha limite do campo que permite pontuações mais altas.


Jogadores

Não existe posição fixa no cricket, os jogadores precisam saber realizar todas as funções, diferentemente do futebol. No decorrer da partida, quando os jogadores que estão no taco vão sendo eliminados, todos os jogadores precisam rebater, até mesmo quem não tem muita afinidade. Porém, eles são classificados de acordo com sua melhor posição em: bowler, bastmen e both. 

O bowler é o jogador que tem com melhor habilidade arremessar a bola. Normalmente, as bolas passam dos 100 km/h.

O batsmen tem como melhor habilidade rebater. O objetivo principal é rebater o mais longe possível, de preferência para fora do campo para ganhar mais pontos.

Ainda existem os jogadores que são muito habilidosos em ambas as funções.

Wicket

É a casinha. O objetivo do time que defende é derrubar a casinha, impedindo assim que o time que está com o taco marque pontos.



Stump: São os três pinos de madeira que compõem o wicket.

Bails: É o pedaço de madeira que fica em cima dos stumps e compõem o wicket.


Até mais!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...