quinta-feira, 15 de junho de 2017

O monstro Conor McGregor


Salve Salve Nerds!
Quando Conor McGregor estreou no UFC, muitos atentavam para o potencial do irlandês. Ele havia vencido o bom lutador croata Ivan Buchinger pelo cinturão dos leves do Cage Warriors e se tornava então campeão de duas categorias. 
A sua estreia nos octógonos foi impressionante, logo de cara pegou Marcus Brimage e nocauteou com pouco mais de um minuto. O estilo falastrão já aflorava e o "nocaute da noite" estava garantido. O que poucos esperavam era que o já impressionante começo seria apenas um traço diante do que estava por vir. 
McGregor portando os dois cinturões que conquistou no Cage Warriors

Com o joelho estourado, McGregor anulou Max Holloway. Hoje o havaiano é campeão do UFC, vencendo José Aldo com uma performance irretocável. Sobre Aldo, mais abaixo falo do brasileiro.
O que veio a seguir foi uma ascensão meteórica, a organização marcou um evento na capital Irlandesa. Com a vitória por nocaute e mais um bônus do notório, a O2 Arena registrou até hoje o mais alto volume de um evento do UFC, superando 111 decibéis. Já estava na hora de lançá-lo a peixes maiores e usar a popularidade crescente em um evento de pay-per-view. O UFC 178 teve McGregor enfrentando Dustin Poirier, até então o 5° colocado da categoria dos penas. Ele falou muito e entrou na mente do americano, Poirier resistiu apenas 1 minuto e 46 segundos até ser nocauteado de uma das maneira mais estranhas que eu já vi até hoje, mais um nocaute e mais um bônus. Pronto, estava criada a fera, a partir deste momento não existia justificativa esportiva para não colocá-lo próximo a disputa do cinturão.
O início do grande ano da sua carreira foi açucarado, um nocaute sobre Dennis Siver aos 1:52 2° round. Inclusive ele havia prometido que iria nocautear.
Estava escalado para o UFC 189, contra José Aldo. O evento ganhou um dos trailers mais bem produzidos da história do evento.

A tão esperada luta contra o maior peso-pena da história teve que ser adiada devido a uma lesão na costela de Aldo. Para substituir o brasileiro veio então Chad Mendes, que para muitos seria a kryptonita para McGregor. Após o, até então, round mais difícil de toda a sua participação no UFC, o irlandês voltou cheio de fome e o resultado foi Chad Mendes nocauteado aos 4:57 do segundo round. Mais uma vez McGregor disse que iria nocautear no segundo round e assim o fez.
Uma das fotos mais impressionantes já registras em uma pesagem do UFC

O mundo já espantava com o fenômeno que na época portava o cinturão interino dos pesos-penas. Deram ainda um Reality Show, The Ultimate Fighter, para que o monstro crescesse ainda mais.
4 de dezembro de 2015, UFC 194, o mundo olhava para o octógono montado em Las Vegas. Todos esperavam uma luta dura, entre o campeão Aldo, na época 10 anos invicto, contra Conor, The Notorious.
O resultado todos já sabem: 13 segundos de luta na performance mais impressionante da carreira de McGregor. A luta mais rápida de uma disputa de cinturão na história do UFC. Mais de um milhão de pacotes de pay-per-view vendidos e McGregor com o cinturão.
O golpe derradeiro que chocou o mundo

Ele saiu à caça, primeiro do cinturão dos leves, naquele momento em posse do brasileiro Rafael dos Anjos. A luta foi marcada, mas mais uma vez uma lesão tirou o adversário do irlandês. A solução do Ultimate foi escalar Nate Diaz, com apenas 15 dias de antecedência, em duas categorias acima da que McGregor vinha lutando na organização. 
Desta vez McGregor não saiu feliz do octógono, finalizado por Nate Diaz  aos 4:12 do segundo roun. Mas fora do cage o irlandês não teve do que reclamar, novamente mais de um milhão de pacotes de pay per view vendidos.
A primeira derrota de McGregor no UFC

A revanche era especulada para o UFC 200, mas devido a muitos imbróglios na organização o UFC decidiu retirar McGregor do card. Mas ainda assim deu a revanche, marcada para agosto, no UFC 202, no primeiro fim de semana das Olimpíadas. Desta vez McGregor se reinventou e venceu Nate Diaz por Decisão Unânime em uma das melhores lutas do ano. Assim como nas últimas vezes em que subiu no octógono o número de pacotes de Pay-Per-View superava a marca de um milhão, mas no UFC 202 o número superou até o recorde do UFC, com mais de 1,65 milhões de pacotes.


McGregor dosou a energia e venceu uma guerra contra Nate Diaz no UFC 202
A chance de disputar o cinturão dos leves veio no UFC 205, contra Eddie Alvarez, no primeiro evento realizado na cidade de Nova York, após a liberação do MMA no estado. McGregor prometeu nocaute e ele não durou muito, veio aos 3:04 do segundo round em um passeio contra contra o americano. O número de pay-per-views desta vez superou todas as macas e se tornou o evento com mais pacotes vendidos da história do MMA.
Ele se tornou o terceiro homem a conseguir ser campeão em duas categorias diferentes no UFC, ao lado de B.J Penn e Randy Couture, mas o primeiro na história a ser campeão ao mesmo tempo, um fato de o deixa imortalizado na história do esporte.


Além de ser um astro midiático ele é sim um grande atleta, do nível de poucos na história

No ano de 2016 o UFC vendeu 8,370 milhões de pacotes para a TV em cards principais, o que dá a média recorde de 644 mil mil por show, segundo dados do site "MMA Fighting"
Conor virou personagem de um dos games mais populares do mundo, Call Of Duty: Infinite Warfare, ao lado de Kit Harington, o Jon Snow de Game Of Thrones.




Por falar em Game Of Thrones, McGregor terá um papel de pirata na nova temporada da série. Ser destaque em uma série de sucesso mundial é algo que nunca chegou nem perto de um lutador de MMA. 
Após a luta no UFC 205 ele declarou que iria ficar longe dos octógonos por um tempo para ficar ao lado da esposa grávida. O UFC vem sentindo os efeitos dessa pausa, as vendas de pay-per-view em 2017 ainda não decolaram e dificilmente irão sem o irlandês.
O monstro que se criou superou até os limites do MMA, pois após uma série de especulações a sua luta contra o maior vendedor de pay-per-vews da histórias dos esportes está confirmada. McGregor enfrentará Floyd Mayweather no dia 26 de agosto em uma luta que promete ser a maior da história dos esportes de combate, superando em vendas até o histórico confronto entre o próprio Mayweather e o filipino Manny Pacquiao.
MMA versus Boxe, uma luta que milhões de pessoas no mundo pagam pra ver

As expectativas são altas para ver até onde que Conor McGregor pode chegar



terça-feira, 13 de junho de 2017

PES 2018




Na manhã de hoje, foi lançado o Pro Evolution Soccer 2018 pela Konami na E3, com expectativas altas, até pela concorrência com o FIFA.



O jogo da Konami tem como novidades melhorias gráficas em relação ao jogo anterior e algumas coisas a mais para atrair mais jogadores. Foi consolidada a PES League, que seria uma seleção de jogadores no mundo todo para os campeonatos presenciais depois da seleção com cada um jogando de sua casa. Jogadores históricos, com destaque para Maradona, estarão disponíveis no jogo. A novidade mais aleatória foi a inclusão de Usain Bolt no jogo. Isso mesmo, o corredor jamaicano estará na edição 2018 do PES no modo My Club.

Como todos os jogos esportivos, nem sempre é possível trazer mudanças grandes de um ano para o outro, mas parece um tanto equivocada a ideia de colocar Bolt no jogo. Muita gente imagina um atleta em outras modalidades e se ele teria sucesso nesse novo esporte, mas nesse caso deu a entender que foi mais marketing para atrair mais gente que o rival FIFA.
Poderiam haver mais inovações no jogo em si e até se pensar em fazer como o FIFA e colocar seleções e até times femininos na franquia. Pareceu um passo para trás da Konami, mas enfim, quem somos nós na fila do pão dos jogos.

Mesmo se formos falar em atualizações dos jogos esportivos, não haveria a necessidade de termos um lançamento novo todos os anos, por não haver tantas mudanças tecnológicas tão significativas para isso, a famosa DLC poderia resolver. 






O PES 2018 será lançado 14 de setembro para PlayStation 4, PlayStation 3, Xbox One, Xbox 360 e PC.

Madden NFL 18




Com Tom Brady, o famoso marido da Gisele e campeão cinco vezes do Superbowl na capa do jogo, a EA Sports lançou o Madden NFL 18.


O Madden NFL 18 foi apresentado na E3 pela EA Sports como mais um jogo utilizando a engine Frostbite, que permite melhoras gráficas significativas nos jogos da franquia. Mas, como citado em todos os jogos anunciados anteriormente, o modo carreira, ou no caso do Madden o modo Longshot, é o destaque. 

No caso do Madden, é bem parecido com o FIFA, com um atleta fixo que você controla. O atleta foi feito com o físico e aparência do ator Mahershala Ali, que fez Moonlight. Dando uma de Silvio Santos, nunca joguei o Madden mas meu amigo Arthur jogou e aprova, principalmente por ajudar a entender mais desse esporte que a princípio parece complicado. 







O jogo chega para Playstation 4, Xbox One e PC em 22 de agosto.

Forza Motorsport 7




Na conferência da Microsoft, em que o lançamento do glorioso Xbox One X foi o grande destaque, tivemos também o já tradicional Forza Motorsport 7 lançado.




O Forza é um dos primeiros jogos lançados que rodam no novo console, com 60 frames por segundo e 4K. Os gráficos do jogo, que já eram impressionantes, seguem ótimos e com muito realismo, tanto da pista, do cenário e claramente dos carros. O diferencial do jogo, que conta com mais de 700 carros presentes, de todos os tipos, é um modo carreira, que você pode ser um piloto.




Você pode criar um piloto como personagem do jogo e seguir os modos do jogo, inclusive jogar online. Essas funções ajudaram, segundo a Turn 10 Studios, a tornar o jogo mais humano e realista, até porque a tendência dos jogos atuais é que o jogador seja mais protagonista, ainda mais os jogos esportivos, como os já citados FIFA e NBA.





O jogo será lançado em 3 de outubro, disponível para Xbox One X, Xbox One e Windows 10.


Com Durant protagonista, Warriors supera Cavaliers no jogo 5 da final e é campeão da NBA



Em casa, Golden State Warriors não deixa escapar a chance de ser campeão e supera o Cleveland Cavaliers no jogo 5 da final da NBA. Kevin Durant anota 39 pontos e mais de 30 pontos em todos os jogos, conquistando o MVP das finais. Lebron James marca 39 pontos também, mas faltou ajuda do banco do Cavaliers para vencer. 

Foto: NBA/Divulgação

No começo de jogo equilíbrio e o Golden State tomou a frente com Draymond Green marcando de três. Klay Thompson fez também e o time ampliou, empolgando a torcida no ginásio. Kevin Love foi para o banco após cometer duas faltas no início de partida. Lebron buscou a reação dos visitantes e colocou o time na frente, 13 a 9 e sete pontos dos treze marcados pelo camisa 23. 
De três, Lebron ampliou a vantagem do Cleveland, 18 a 11. Warriors errava bastante no ataque e cometia turnovers com frequência, algo não tão comum para a equipe. Sem apostar tanto nas bolas de três, o Warriors foi tirando a diferença e estava dois pontos atrás do Cavaliers com dois pontos de Curry, 22 a 20.
Cinco turnovers do Golden State e precisão de 70% do Cleveland nos arremessos de quadra, que permitiam a vantagem de pelo menos quatro pontos no placar. Com falta sofrida por Curry fora do perímetro, o camisa 30 cobrou três lances e converteu dois. Em mais dois lances, o Warriors ficou a um ponto do adversário e Curry sofreu mais uma falta, cobrando mais dois lances e assim colocando o time na frente, 31 a 30. No final de quarto, JR Smith marcou de três e fechou em 37 a 33 o placar. 

Segundo quarto e o Warriors não conseguia se acertar em quadra, vendo Lebron marcar quatro pontos e abrindo a pontuação para 41 a 33. Errando nos avanços ao ataque, o Cleveland viu o Golden State buscar a reação e na enterrada de Iguodala o time ficou apenas dois pontos atrás, 41 a 39. Do meio da rua e marcado, Kevin Durant arriscou de três e colocou o Warriors na frente de novo, 45 a 43. Após problemas no cronômetro, Curry mandou de três e o time da casa abriu cinco pontos. Perdido em quadra no momento, o Cavaliers viu os donos da casa dispararem com dez pontos seguidos, 54 a 43. Com duas cestas de três impressionantes, o Golden State abriu 15 pontos, 60 a 45. Em grande confusão entre West, Kyrie Irving e Tristan Thompson, partida parada e faltas técnicas marcadas para os dois lados. 
Depois da confusão, Lebron fez de três e tentava começar a reação dos visitantes. Draymond Green fez a ponte aérea para Iguodala completar. Na sequência, cesta de três para Kyrie Irving, mas Durant respondeu enterrando. No final do quarto, JR Smith marcou de três em uma sequência de oito pontos contra três do Warriors e o quarto fechou em 71 a 60. 


Foto: NBA/Divulgação

No terceiro período, começo equilibrado e com Klay Thompson marcando de três. Thompson que estava inspirado e fez mais uma de três quando o placar apontava diferença de dez pontos apenas. 79 a 76 no marcador. Aproveitando as faltas de Pachulia, o Cleveland marcou com JR Smith de três. Lebron fez de dois e o time tirou a diferença para oito pontos. A resposta do Warriors foi com Iguodala de três. Arriscando muito da linha de três, o time da casa viu o Cavaliers chegar mais e ficar a apenas cinco pontos de diferença, 82 a 77. Após a chegada dos visitantes, o Golden State voltou a administrar e manteve a diferença na casa dos oito pontos. Com ponte aérea de Lebron para Tristan Thompson o Cavaliers tirou a diferença para quatro pontos. Durant fez de três e deu a resposta aos adversários. 
Restando 2:13 para o fim do quarto, diferença em cinco pontos com erros de ataque do Warriors. Com pontuação baixíssima dos reservas do Cavaliers, apenas quatro pontos, os titulares estavam sobrecarregados, com destaque para Kyrie Irving, que era constantemente atendidos pelos fisioterapeutas do time. Mesmo assm, a diferença seguia pequena. Restando 18 segundos, JR Smith marcou de três e o quarto fechou 98 a 93. Lebron e Kyrie combinando 53 pontos e Curry com Durant também combinando a mesma pontuação. 

Quarto final e Lebron James começou marcando e tirando a diferença para três pontos. Kevin Durant respondeu e a diferença voltou a cinco pontos. Sempre que precisava, o Warriors conseguia a bola de três, e Iguodala marcou para ampliar o placar, 103 a 95. Quando Kevin Love havia feito a diferença cair novamente nos cinco pontos, Durant fez de três. Restando 8:59, diferença de nove pontos no placar, 108 a 99. Com duas cestas seguidas, o Golden State deu a resposta ao arremesso de três de Kyle Korver e novamente abriu 10 pontos na dianteira, 112 a 102. Trocas de pontos entre as equipes e a desvantagem do Cavaliers seguindo. Em grande jogada, Durant marcou mais dois e alcançou os 39 pontos na partida. 
O nervosismo começou a pesar mais do lado do Cleveland e o Warriors chegou a abrir 14 pontos, 122 a 108. Lebron era quem tentava sempre puxar uma reação do time de Ohio com 37 pontos anotados. JR Smith sofreu falta e fez de três, cobrou o lance livre e errou, mantendo a diferença em onze pontos. Nervoso em quadra, o Cavaliers errava e cometia turnovers que evitavam uma chegada maior no placar restando menos de dois minutos de jogo. Restando 42 segundos, Curry provocou e acertou de três. JR Smith acertou restando 14, mas nada que estragasse a festa do Warriors. Final de jogo! Warriors campeão, 129 a 120! Quinto título do time na história, segundo em três anos. 

Grandes partidas nos cinco confrontos da final e na força do conjunto o Warriors levou a melhor com a vitória por quatro jogos a um. Grandes atuações dos dois lados, com Lebron e Kyrie Irving principalmente no Cavaliers e Curry e Durant no Warriors. 

segunda-feira, 12 de junho de 2017

NBA Live 18



Na conferência de sábado da EA Sports, o NBA Live 18 foi anunciado. O jogo da maior liga de basquete do mundo segue uma tendência dos jogos esportivos, o modo jornada.




Começado no FIFA, o modo jornada com o fictício Alex Hunter, no NBA Live você pode criar o seu jogador e seguir um caminho com ele no modo The One. Começando no basquete jogado nas quadras de bairros nos Estados Unidos, você tem a chance de se destacar, seguir para ligas menores e alcançar o estrelato na NBA. Segundo a EA, as ações feitas desde as partidas de começo nas quadras públicas influenciam no atleta que você terá no futuro, influencia entre estar ou não na NBA.




Falando do jogo em si, os gráficos ficaram bem realistas, tanto dos ginásios, torcidas e jogadores. O mais difícil em jogos esportivos é conseguir reproduzir com fidelidade os movimentos dos atletas, ainda mais em um esporte de muito contato, movimentos tão variados e estilos de jogo tão diferentes dos jogadores. Segundo análises e pelas imagens, a EA conseguiu fazer boas melhoras e o NBA Live 18 deve ser uma boa aquisição aos fãs do basquete.

Tanto o modo The One quanto modos competitivos e os jogos com os amigos poderão ser jogados online. Lembrando que o jogo terá uma liga competitiva, então deverá ter esse espaço online aumentado, tal qual existe hoje no FIFA uma grande liga de jogadores. 





Fica a dica, para você que quer acompanhar tudo da E3, ver os vídeos do nosso amigo Moreno no canal dele. Todas as conferências terão vídeos especiais dele para falar dos lançamentos de jogos e consoles:




FIFA 18



Começamos nossa cobertura da E3, a feira que tem os lançamentos dos jogos para a próxima temporada nos videogames e computadores. Vamos acompanhar os jogos esportivos lançados na feira e chegamos de início com FIFA 18.



E já de cara vemos Cristiano Ronaldo como o grande garoto propaganda do jogo. O gajo foi a estrela do trailer e terá também uma edição especial com ele na capa e benefícios nos modos online para quem comprar essa edição. Ronaldo, o Fenômeno, é o destaque da edição Icon, que terá mais craques históricos e benefícios nos modos online.

Uma das grandes novidades do ano passado, que foi o modo jornada, está de volta com uma sequência da carreira de Alex Hunter no modo "A Jornada: O Retorno de Hunter". Vários jogadores e treinadores mandaram recados para o jogador fictício e o jogo promete mais interações e seguir com algo mais próximo da carreira de um atleta profissional do futebol.




Nos aspectos técnicos, o jogo melhorou em relação a ambientação de torcidas e estádios. Eles estão mais caracterizados de acordo com a região, sendo mais intensos com as torcidas sul-americanas do que as europeias, por exemplo. Segundos os anúncios, a jogabilidade foi aprimorada para que as táticas de jogo sejam mais desenvolvidas ao longo da partida, como o famoso tiki-taka do Barcelona ou a marcação adiantada, tão atual no futebol.

Uma das coisas que mais incomodavam muitos jogadores era ter que pausar o jogo e ter um ritmo quebrado pela pausa ao fazer substituições. Agora, o jogo sugerirá trocas seguindo critérios de cansaço dos jogadores e por simples comandos durante a partida quem joga poderá trocar os atletas sem precisar acessar o menu.






domingo, 11 de junho de 2017

Hamilton vence pela sexta vez no Canadá e encosta em Vettel na briga pelo campeonato



Sétima etapa do Mundial de Fórmula 1 e a categoria desembarcou no GP do Canadá. A prova em si foi muito disputada e com brigas por posição até o final, mas apenas do terceiro lugar para baixo, pois a dobradinha da Mercedes, com Hamilton e Bottas, esteve garantida desde cedo na prova.



Na classificação, as Ferrari pouparam pneus no Q1 e foram de supermacios, ao invés dos compostos ultramacios usados pelo restante, deixando as Mercedes na frente. Os eliminados na primeira parte foram: Stoffel Vandoorne, Lance Stroll, Kevin Magnussen, Marcus Ericsson e Pascal Wehrlein.
No Q2, a dupla da Mercedes, com Hamilton e Bottas nessa ordem, liderou. As Ferrari seguiram logo atrás. Quem não passou para o Q3 foram os pilotos; Daniil Kvyat, Fernando Alonso, Carlos Sainz, Romain Grosjean e Jolyon Palmer.
No Q3, a disputa pela pole position ficou entre Hamilton e Vettel. Mas, o inglês foi cirúrgico e fez o melhor tempo, garantindo a pole position de número 65 na carreira e igualando Ayrton Senna. Vettel foi o segundo, seguido por Valtteri Bottas, Kimi Raikkonen, Max Verstappen, Daniel Ricciardo, Felipe Massa, Sergio Perez, Esteban Ocon e Nico Hulkenberg.



Já na prova, Kvyat ficou com o carro parado na volta de apresentação, mas conseguindo dar partida no carro e sair atrasado. Na largada, Verstappen saiu de maneira impressionante e saltou para o segundo lugar, deixando Bottas em terceiro e Vettel em quarto. Grosjean bateu em Sainz, o espanhol escapou e bateu em Massa, fazendo os dois abandonarem e causar um Safety Car. 

 Relargada na volta 3 e Verstappen tentou passar Hamilton, para depois ser atacado por Bottas e resistir a pressão. Em briga ferrenha, Raikkonen foi passado por Perez. Em um dia ruim para a Ferrari, Vettel foi chamado para os boxes para trocar a asa dianteira, que estava com um pedaço quebrado. O alemão trocou o bico na volta 6 e aproveitou para colocar pneus supermacios, voltando no décimo oitavo lugar. 

Aparetemente com problemas de potência no carro, Verstappen abandonou a prova na volta 11. Safety Car virtual na pista. A bandeira verde voltou na volta 14 e Magnussen passou Vandoorne pela nona posição. Stroll e Hulkenberg passaram tranquilamente a Mclarne de Vandoorne. Stroll tentou passar Magnussen, mas quem chegou por fora foi Hulkenberg, porém o alemão não conseguiu passar Magnussen e ficou atrás de Stroll também. Volta 18 e Raikkonen foi para os boxes, colocando pneus supermacios. 

Com a parada de Ricciardo, colocando pneus macios, Alonso pulou para o quinto posto. Vettel, em décimo, chegou na briga de Stroll e Magnussen. Vettel passou Stroll e Perez, lá na frente, passou Alonso pelo quinto posto. Raikkonen também passou o espanhol e Vettel escalava o grid, passando Magnussen pelo oitavo lugar. Na volta 24, Bottas foi para os boxes e colocou pneus macios. Em grande briga, Hulkenberg sofreu, escapou da pista e se recuperou para passar Stroll. O piloto da casa foi logo depois para os boxes. 

Magnussen foi punido por passar Vandoorne sob Safety Car Virtual, cinco segundos pra ele cumprir na prova ou parado nos boxes. Sem problemas, Vettel passou Alonso, que reclamava muito do carro e da falta de informações fornecidas pela equipe. Kvyat deu show, colocou de lado e fechou a porta para passar Magnussen pelo décimo posto. Bottas tentava de todas as maneiras passar Ocon e não perder mais tempo com o mexicano, porém não conseguia aproximação suficiente. 

Hamilton foi para os boxes e colocou pneus supermacios. Ocon também foi na mesma volta e escolheu os mesmos compostos. Volta 34 e após os pits todos o top 5 tinha Hamilton, Bottas, Ricciardo, Perez e Raikkonen. Ocon vinha se aproximando de Raikkonen em busca do quinto posto. Volta 42 e Raikkonen novamente parou e colocou pneus ultramacios, caindo para o sétimo lugar. Na volta 43, enfim, Alonso parou nos boxes, caindo do nono para o décimo primeiro lugar. 

Stroll, mais inspirado, passou Vandoorne pelo décimo segundo lugar. Na parte da frente do grid, Ricciardo, Perez, Ocon e Vettel estavam bem próximos. E o canadense da Williams passou Alonso pelo décimo primeiro lugar na volta 48. Vettel, atrás do trenzinho de Ricciardo, foi para os boxes e colocou pneus ultramacios, voltando em sétimo. Briga caseira na Force India, com Ocon chegando próximo de Perez. Vettel vinha voando na pista e estava seis segundos atrás de Raikkonen. Kvyat foi para os boxes e teve problemas na troca de pneus, com opções erradas nas mãos do mecânicos e o carro morrendo depois da troca. 

Após a confusão no pit anteriormente, Kvyat abandonou a prova voltando aos boxes. Raikkonen estava bem mais rápido que Ocon e encostava na briga das Force India com Ricciardo. E o finlandês escapou da pista e viu Vettel chegar e passar o companheiro de time, assumindo o sexto posto. Bem mais rápido, o alemão já encostava nas Force India na volta 63. Volta 65 e Ocon tentou colocar de lado para passar Perez, enquanto Vettel tentou chegar na sobra. Ocon forçou a passagem sobre Perez mas não conseguiu, enquanto Vettel chegou logo depois e passou Ocon. O piloto da Ferrari quase conseguiu na mesma levada passar Perez. 

Restando duas voltas para o fim, Alonso abandonou por problemas no motor da Mclaren. Na habilidade, Vettel passou Perez e assumiu o quarto lugar, utlrapassagem de quem sabe. Alonso abandonou e saiu no meio da galera, sendo ovacionado. Ocon até tentou passar Perez mas não conseguiu nas voltas finais. 




E vence Lewis Hamilton! Mais uma vitória do inglês, a sexta no Canadá, que segue em segundo no campeonato, com 129 pontos, contra 141 de Vettel. Em segundo na prova ficou Bottas, terceiro Ricciardo, quarto Vettel, quinto Perez, sexto Ocon, sétimo Raikkonen, oitavo Hulkenberg, nono Stroll pontuando pela primeira vez em casa e décimo Grosjean.


Patrick Stewart provou o champagne na sapatilha de Ricciardo, o famoso shoey





Além da corrida em si, fica o destaque para a emocionante prova de barcos feita ao lado da pista em Montreal:






A Fórmula 1 volta daqui duas semanas, com o GP da Europa, dia 25, em Baku, no Azerbaijão.

sábado, 10 de junho de 2017

Kyrie Irving marca 40 pontos e Cavaliers supera Warriors em jogo de tudo ou nada



No quarto jogo da final da NBA, o Golden State Warriors poderia sair campeão caso vencesse, enquanto o Cleveland Cavaliers precisava vencer a qualquer custo em casa. Dominante durante todo o jogo, o time da casa soube controlar o adversário para conseguir uma expressiva vitória, que mantém a equipe viva na final. Kyrie Irving foi o cestinha e o grande destaque da partida com 40 pontos.

Foto: NBA/Divulgação

Começo de jogo arrasador do Cleveland, com duas cestas de três pontos e uma de dois. Mas, o Warriors respondeu bem, com uma de dois e uma de três para deixar a diferença em três pontos, 8 a 5. A equipe da casa entrou pilhada no jogo e não querendo perder as chances no jogo crucial. JR Smith fez a segunda cesta de três dele no jogo e o placar saltou para 14 a 5. A bola do Warriors insistia em não cair, enquanto o Cleveland via as bolas de três caírem, com o placar se ampliando para 24 a 9 a partir das bolas de fora do perímetro. A marcação do Cavaliers sobre Stephen Curry e Kevin Durant evitava a reação dos visitantes, que estavam perdidos em quadra.
O Warriors deu uma acordada com Kevin Durant, que marcou cinco pontos para o time, ficando dez pontos atrás, 30 a 20, restando 4 minutos. Os donos da casa perdiam a chance de ampliar mais o placar errando vários lances livres. Quando o Golden State vinha tirando a diferença para apenas seis pontos, Kyrie Irving fez de três. Mesmo com os erros nos lances livres, a pontuação saltou para a diferença de 14 pontos, 41 a 27. Foram nove lances livres errados no primeiro quarto para o Cavaliers, mas mesmo assim o melhor primeiro quarto da história com 49 pontos. O Warriors somou 33.

No segundo quarto, com vários reservas dos dois times em quadra, o Cavaliers seguia inspirado e calibrado nas bolas de três com Kyrie Irving. A pontuação era de 54 a 37 para o Cavaliers. Kevin Durant voltou para quadra, sofreu falta, marcou os pontos e converteu o lance livre para iniciar a reação do Warriors. Quando a diferença era de 12 pontos, Lebron tocou para o meio da quadra para JR Smith, que arriscou da intermediária e acertou o arremesso no último segundo da posse de bola, 60 a 45.
O jogo ganhou um ritmo absurdo, com cesta de três de Curry respondida por Kyrie Irving, que fez de dois e depois de três. Os donos da casa não perdoaram e ampliaram a vantagem para 20 pontos no placar, 69 a 49. Irving já somava 21 pontos no jogo. Com Shaun Livingston os visitantes tentavam tirar um pouco da gordura criada pelo Cavaliers, mas o Uncle Drew da NBA, Kyrie Irving, não perdoava e comandava o time de Ohio, 73 a 55. Sob o comando de Lebron, que acertou um lance livre e converteu um arremesso de três, o Cleveland acertou 12 arremessos de três e ampliou a vantagem para 19 pontos, 80 a 61. No final do quarto, Kevin Love fez de três e o outro Kevin, o Durant, marcou também de três, fechando o quarto em 86 a 68.

A volta do intervalo foi com o time de Oakland melhor, marcando de cara quatro pontos . Kyrie Irving, sempre ele, fez de três para aliviar os donos da casa. Kevin Love também fez de fora do perímetro e a desvantagem do Warriors subiu de novo para 20 pontos, 92 a 72. Com toda a moral possível, Lebron jogou a bola na tabela e pegou o rebote para enterrar com estilo. Lebron e Durant se desentenderam e o juiz deu falta técnica para ambos. Restando 6:26, o Warriors conseguiu sequência de pontos e diminuiu a diferença para 14 pontos, 99 a 85. Depois de muita confusão, JR Smith fez de três para continuar a manutenção da vantagem dos donos da casa. 
Mesmo com a dificuldade de espaços e jogadas, Kevin Durant já somava 31 pontos no jogo, enquanto Kyrie Irving 32. A diferença se mantinha na casa dos 13 pontos e faltava as bolas de três do Warriors caírem para o time se colocar com menos de 10 pontos de diferença em relação ao adversário. Final de quarto e Williams fez de três para o Cleveland. Curry respondeu na mesma moeda, mas Lebron também mandou de fora do perímetro e fechou o quarto em 115 a 96. Já eram 20 cestas de três do Cavaliers no jogo, um novo recorde nas finais da NBA. 


No quarto final, o Warriors iniciou tentando evitar a vaca deitar na partida. McCaw e Klay Thompson fizeram de três e a desvantagem estava em 13 pontos, 115 a 102. West marcou e tirou a diferença para onze pontos, mas Irving fez de três e alcançou 35 pontos, aliviando de novo o Cavaliers. Em seguida ele fez de dois e mais uma vez minou os ânimos do Warriors. Placar 122 a 104 restando 7:40. Muitas faltas do Golden State, que ajudavam mais o Cavaliers, que podia gastar o tempo no campo de ataque. Com 4:36 para jogar, faltava inspiração de Curry e o restante do Warriors, que pouco conseguia render, fora Kevin Durant, que fazia uma partida particular indo muito bem. O placar apontava 126 a 108. Lebron James superou Magic Johnson com mais triplo-duplos nas finais da NBA, com 9 contra 8. 
Durant chegou a 35 pontos e o Warriors ficava 15 pontos atrás no placar, diferença administrada muito bem pelos donos da casa. JR Smith e Kyrie Irving fizeram de três e pulverizaram o Warriors da partida em definitivo, 132 a 111 restando 2:16 para jogar. O Golden State jogou a toalha e foi com os reservas para os minutos finais. Sem mais emoções, final de jogo 137 x 116 para o Cavaliers.

Foto: NBA/Divulgação
Grande atuação do time da casa, que soube controlar muito Stephen Curry e Klay Thompson, que eram as válvulas de escape do time junto com Kevin Durant. Kyrie Irving alcançou 40 pontos em atuação impecável. Lebron James fez mais um triplo-duplo, com 31 pontos, 10 rebotes e 11 assistências. No lado do Warriors, o destaque ficou por conta de Kevin Durant, com 35 pontos anotados.





Agora, o Warriors receberá na segunda-feira o Cavaliers na Oracle Arena. Mais uma vez, podendo ser campeão, enquanto ao Cavaliers só resta vencer. 

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Com Durant novamente decidindo, Warriors vence jogo 3 e está a um passo do título



Na primeira partida da decisão na casa do Cleveland Cavaliers, em Ohio, o Golden State teve bem mais dificuldades que os jogos anteriores, mas no final conseguiu sair com o triunfo. Com as três vitórias seguidas, o Warriors precisa de uma vitória nos próximos quatro jogos para sair com a taça. 

Foto: NBA/Divulgação

No quarto inicial, o Cleveland saiu na frente, mas viu a virada com duas cestas de três de Klay Thompson e Kevin Durant. O próprio Durant fez de três novamente e JR Smith e Lebron James responderam na mesma moeda. A partida seguiu disputada, com o Cavaliers na frente. Klay Thompson, na melhor partida dele na final até agora, marcou duas cestas de três e recolocou o time no páreo, 19 a 19. O Warriors conseguiu tomar a frente no placar, e entre mais cestas de fora do perímetro se saiu melhor e fechou a parcial em 39 a 32. 

No segundo período, o Warriors se manteve na frente e conseguia controlar os ímpetos do Cleveland, que tinha Lebron James marcando 21 pontos restando 9 minutos para o fim do quarto. O Warriors chegou a abrir seis pontos de frente, mas Lebron e Kyrie Irving traziam o time de volta na reação e colocavam a equipe na briga. No final do quarto, quando a diferença estava em apenas dois pontos, Stephen Curry e Klay Thompson fizeram de três e ampliaram para oito. No final Irving fez e o quarto fechou 67 a 61. 

O terceiro quarto começou com o Cavaliers tirando a diferença que tinha em relação ao Golden State. Com direito a cesta de três de JR Smith, o time tirou a desvantagem para um ponto. Kevin Love marcou de três e virou o placar. A partida pegou fogo e os times se revezaram nos pontos, com o Cleveland ficando na frente, 80 a 79. No final do quarto, Kyle Korver fez de três e em seguida Lebron e Irving ampliaram, abrindo sete pontos, 94 a 87. O Warriors converteu dois lances livres e o quarto fechou em 94 a 89. 

O último quarto começou com Klay Thompson tentando levantar o Warriors para a virada, enquanto Lebron e Korver marcaram de três. A diferença seguiu na casa dos cinco pontos até Kevin Durant marcar de três e tirar para dois. Os donos da casa deram um novo banho de água fria com Kyrie Irving, que já alcançava 38 pontos no jogo. Curry fez de dois e Thompson de três para tirar a desvantagem em um ponto. Com duas cestas de três, o Cleveland voltou a abrir seis pontos, porém a vantagem durou pouco e o Golden State foi buscar a reação com Kevin Durant, que fez de três e depois de um bom tempo colocou o time visitante na frente no placar, 114 a 113. Durant fez mais dois lances livres e colocou o Cavaliers em desespero restando 12.9 segundos. Com falta em Curry, o jogador do Warriors converteu mais dois lances e fechou a conta em 118 a 113. 

Mais uma atuação absurda de Lebron James, que está com média de triplo-duplo na final. No jogo 3, foram 39 pontos, 11 rebotes e 9 assistências. Kyrie Irving também voou com 38 pontos. No lado do Warriors, Kevin Durant fez 31 pontos, Klay Thompson 30 e Curry 26. Com o triunfo, o Warriors é o campeão da NBA se vencer o jogo quatro ou qualquer outra partida seguinte até o jogo sete. Jogo quatro promete muita emoção, sexta-feira, com transmissão ao vivo da ESPN e provável compacto na Globo em horário alternativo.






Para mais lances vale acompanhar o canal da NBA no Youtube

terça-feira, 6 de junho de 2017

Warriors vence de novo em partida com triplo-duplo de Curry e James




Jogo dois da finalíssima da NBA, com o Golden State Warriors novamente recebendo o Cleveland Cavaliers na Oracle Arena. Mesmo com mais equilíbrio no começo de jogo, os donos da casa conseguiram sair com a vitória em mais uma grande atuação de Kevin Durant e Stephen Curry.

Foto: Jose Carlos Fajardo/Bay Area News Group

O primeiro quarto de jogo foi impressionante, com uma pontuação altíssima. No início, o Cleveland chegou a abrir 9 a 3, mas dali para frente o que houve foi equilíbrio. O Warriors reagiu com Klay Thompson e empatou o jogo pela primeira vez com Kevin Durant, 13 a 13. Os donos da casa tomaram a ponta com duas cestas de três seguidas, de Curry e Durant. A equipe de Oakland abriu dez pontos de vantagem e parecia que dispararia na ponta com o 26 a 16. No final do quarto, o Cavaliers buscou tirar a diferença e Lebron, Jefferson e Frye ajudaram o time a fechar o quarto mais encostado, 40 a 34. 

No segundo período, o Warriors saiu na frente e abriu 12 pontos de dianteira, mantendo a diferença, mas logo viu ela cair para oito pontos, com três cestas em quatro arremessos do Cleveland. Lebron James, por três vezes seguidas, fez a cesta para o Cavaliers na busca de puxar uma reação, até que na terceira vez Kyrie Irvin marcou e o time ficou um ponto atrás, 59 a 58. O jogo seguiu equilibrado até o final do quarto e fechou em 67 a 64 para o Warriors. Destaque para Lebron com 18 pontos e 10 assistências e Durant com 15 pontos. 

O terceiro quarto começou com pressão do Cleveland, que buscou tomar a frente no placar. Mas, quando estava um ponto atrás e faltavam 10:27 para o final do quarto, Kevin Durant fez de três e Curry em seguida também de três. Kevin Love tentou tirar a diferença marcando de três, mas o Warriors martelou novamente com Draymond Green de três e Curry de dois, abrindo dez pontos. Lebron e Irving marcaram seguidamente e novamente tentaram colocar o Cavaliers no jogo, porém o Golden State reagiu bem e de novo ampliou com Durant e Livingston. No final do quarto, o jogo deu uma parada no ritmo, porém as chances que vinham o Golden State aproveitava e conseguiu assim ampliar a vantagem. No final, Curry fez de três e após dois lances livres convertidos do Cavaliers o quarto fechou em 102 a 88. 

No quarto final, o Cleveland tentava ressurgir uma última vez no jogo. Reagiu e tirou a diferença para 12 pontos, porém cada resposta do Warriors fazia essa desvantagem seguir viva, porque o time visitante não encaixava uma sequência de pontos. O Warriors novamente encaixou boa sequência, com Klay Thompson marcando de três e de dois, para depois Kevin Durant marcar de três também. O Cleveland fez de dois com Tristan Thompson, mas em seguida Durant fez de novo de três, abrindo 118 a 99. Logo depois, Curry ainda fez de três e alcançou os 30 pontos no jogo. Mesmo com a derrota, Kevin Love somava 27 pontos no jogo e Lebron, com a assistência para os pontos do companheiro, tinha 14 assistências na partida. 
O final de jogo foi com os reservas em quadra e poucas cestas. No final, 132 a 113 para o Warriors, que agora vence a série por 2 a 0. Kevin Durant foi o cestinha do jogo, com 33 pontos, 13 rebotes e seis assistências. Stephen Curry somou 32 pontos, 10 rebotes e 11 assistências. No lado do Cleveland, Lebron também fez um triplo-duplo, com 29 pontos, 11 rebotes e 14 assistências. 







Boas vitórias do Golden State, que terá que se provar agora atuando fora de casa, com os dois próximos jogos em Ohio. É a chance de reação do Cleveland, que mesmo com atuações monstruosas de Lebron James ainda fica devendo no geral.

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Podcast Nerd Esporte #18 - Champions League





Salve Salve Nerds! Está no ar mais um podcast Nerd Esporte, para falarmos sobre a grande final da Liga dos Campeões entre Real Madrid e Juventus. Falamos sobre as expectativas do confronto, erramos nossas previsões, dissemos o que poderia se esperar e também comentamos tudo o que aconteceu nos 90 minutos de partida. Na primeira etapa do podcast, João e Arthur receberam a dupla Matheus e Vitor, além do Plínio direto de Portugal. E na segunda parte, Dudu é o nosso convidado para comentar e narrar os gols desse 4 a 1 do Real sobre a Juventus.





Assine o nosso FEED

Ouça o podcast no iTunes

Curta o Nerd Esporte no Facebook

Siga a gente no Twitter

Deixe o seu comentário sobre a final e as suas sugestões de pautas para os próximos podcasts.







sexta-feira, 2 de junho de 2017

Warriors controla o jogo e tem grande atuação de Durant sobre o Cavaliers



Primeiro jogo da final da NBA e os ânimos estavam a mil com a terceira final seguida entre Cleveland Cavaliers e Golden State Warriors. O primeiro jogo foi na Oracle Arena, casa do Golden State, que fez valer o fator casa para sair com o triunfo e largar na frente na série.


Jose Carlos Fajardo/Bay Area News Group
O primeiro quarto de partida foi nervoso e ao mesmo tempo mostrou o potencial todo que as duas equipes tem. Os visitantes saíram na frente e se mantinham no jogo na base dos três pontos, com Kyrie Irving, Kevin Love e JR Smith. Do outro lado, Kevin Durant já começou como o destaque do Warriors. O Golden State tomou mais conta do jogo e ficou na frente no placar restando 4:56 para jogar no quarto. Durant tinha 10 dos 20 pontos do time na partida. Na reta final do quarto, Lebron James e Stephen Curry mostraram as caras na partida. Lebron dominando a pontuação do Cleveland e Curry calibrado nos três pontos. O Warriors tomou a frente e de lá não saiu, fechando o quarto com cesta de três de Iguodala, 35 a 30.

No segundo período, o Golden State manteve a vantagem ao menos na casa dos cinco pontos no começo das ações. Destaque para Lebron James, que já somava 15 dos 32 pontos do time e seis rebotes. Porém, ele também colaborava negativamente com dois turnovers, que faziam a equipe de Ohio desperdiçar boas chances de cesta por causa dos erros de passe do time no geral.
A diferença chegou a saltar para nove pontos, mas o Cavaliers tentou buscar com Iman Shumpert de três, porém foi pouco efetivo diante de Kevin Durant, que marcou duas cestas seguidas para reanimar o time. Mesmo conseguindo acertar boas cestas de três, o time visitante não mantinha uma sequência, o que permitia ao Warriors administrar o resultado e manter a vantagem, finalizando o quarto em 60 a 52. 

Na volta do intervalo, o Warriors voltou pegando fogo e marcou nada menos que treze pontos seguidos, se aproveitando das falhas defensivas e erros de passe do Cavaliers. Lebron James e Kevin Love marcaram cestas de três seguidas, mas nem isso foi suficiente para recolocar o time no jogo. A desvantagem estava na casa dos quinze pontos ainda. Draymond Green entrou no jogo e comandou as ações no garrafão, para manter a vantagem do Warriors. Irving somou 22 pontos e Lebron 26, mas nem isso era suficiente para vencer o bem organizado time de Oakland. No final de quarto, a vantagem subiu e fechou em 21 pontos, 93 a 72. 

Com a vaca deitada no jogo, o Golden State tirou alguns jogadores para descansarem e colocou os reservas em ação. A diferença se manteve, junto ao alto índice de erros dos times. Curry e Durant voltaram e Durant alcançou a marca de 38 pontos no jogo. Sem mais emoções, o jogo terminou em 113 a 91 para o time da casa. Kevin Durant foi o cestinha, com 38 pontos, nove rebotes e oito assistências. Stephen Curry fez 28 pontos, seis rebotes e 10 assistências. Do lado do Cleveland, Lebron James anotou 28 pontos, 15 rebotes e oito assistências. Kevin Love fez 15 pontos e 21 rebotes. Se nas temporadas anteriores os protagonistas eram mais marcados e não conseguiam pontuar tanto, nessa os titulares estão com uma pontuação muito superior aos reservas, que pouco jogaram e pontuaram no primeiro jogo. 









A segunda partida da final será no domingo, dez da noite e com transmissão da ESPN para o Brasil, também na casa do Warriors.

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Expectativas da Final da NBA 2017



Pelo terceiro ano seguido, algo inédito até então, Golden State Warriors e Cleveland Cavaliers se enfrentarão na decisão da NBA. Cada um tendo vencido uma final, o Warriors em 2016 e o Cavaliers 2016, irão para o duelo final.


Em 2015, o Warriors vinha mais desacreditado e acabou vencendo. O Cavaliers estava desfalcado de nomes como Kevin Love e sofreu para jogar muito em função de Lebron James, que não conseguiu levar o time sozinho e viu a equipe de Ohio perder a taça para o time comandado por Stephen Curry. 

Já em 2016, o contrário. O Warriors veio com a melhor campanha da história da NBA na temporada regular, 73 vitórias e apenas 9 derrotas, mas chegou cansado nos playoffs. O time alcançou a final, mas não suportou um Cleveland inteiro e sem desfalques que buscou uma virada histórica após estar perdendo a série por 3 a 1.

Foto: David Liam Kyle - Getty Images

Para 2017, deveremos ter a final mais equilibrada entre as três. Os dois times vem sem desfalques e chegam jogando um bom basquete. O Golden State ainda não perdeu nos playoffs, enquanto o Cleveland perdeu dois jogos para o Boston Celtics na final da Conferência Oeste. Lebron James vem fazendo atuações de gala e mesmo quando "não joga tão bem" tem média de mais de vinte pontos por jogo. Além de Lebron, o Cavaliers conta com Kevin Love e Kyrie Irving jogando em grande nível e fazendo a diferença para o time.

Foto: NBA
No lado do Warriors, além de Stephen Curry, Klay Thompson e Draymond Green, que eram o trio forte do time, chegou Kevin Durant. O jogador se entrosou rápido ao estilo de jogo da equipe e chama a responsabilidade de decidir junto com Curry. Vinha atuando muito bem na temporada regular, se machucou e voltou para os playoffs novamente jogando em alto nível. A equipe conseguiu passar pelos playoffs sem ser batida, 12 vitórias e nenhuma derrota. 

Consultamos nossos especialistas no jogo da bola laranja para sabermos o que esperar e o que eles acham que acontecerá na grande final da NBA.

Artur Lira

A minha aposta para esse confronto vai para o Cleveland Cavaliers, acredito que o time de Cleveland quando quer jogar é um pouco mais estável e até decisivo que o Golden State, que tem ótimas peças, tantas que nem cabe aqui mencionar. É claro que todos os aspectos do jogo são importantes, mas acredito que o fundamento dos rebotes deve ser muito decisivo no confronto, passando por uma boa e regular atuação de Tristan Thompson.
Palpite: 4x2 Cavaliers

Moreno Valério

Chegamos à terceira parte de uma trilogia moderna: Golden State Warriors e Cleveland Cavaliers. Se ano passado era mais "fácil" palpitar por ser a segunda decisão e acreditar na troca de lado do título, esse ano fica ainda mais complicado. Ambos os times fizeram uma boa temporada (mesmo LeBron e companhia oscilando em parte dos jogos regulares) e confirmaram o favoritismo nos playoffs. Agora é a hora da superação para os dois. Warriors trouxe Kevin Durant que chega para a sua segunda final e a primeira ele perdeu justamente para LeBron, que levantava seu primeiro título da NBA em Miami. Acredito que o resultado será o mesmo, mas não como foi daquela vez, e sim como o foi ano passado: jogo 7 e com muita emoção, Cleveland bicampeão. 

João Heim

Tal qual os amigos comentaristas falaram, é uma decisão complicadíssima de se prever um vencedor. Aposto em uma série chegando ao sétimo jogo tal qual 2016, mas vou apostar em um final diferente. Acredito que o Golden State possa mostrar mais força que o Cleveland nessa final. Em um confronto tão equilibrado, acredito que o Warriors possa prevalecer por justamente ser mais equilibrado que o adversário. A defesa e o ataque do time de Oakland vem trabalhando bem e o time sofreu pouco nos playoffs. Claro que agora o time terá um desafio enorme, mas esse equilíbrio pode fazer bastante diferença em uma série com dois times fortíssimos. Golden State 4x3 Cleveland.

As finais da NBA começam hoje, com partida as 22h e transmissão apenas da ESPN no Brasil.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...